Negócios
Acompanhe:

Oito em cada 10 brasileiros receberão alguma ajuda do governo pelos bancos

Além do BEM, o auxílio emergencial será concedido a 64 milhões de pessoas e o resgate do FGTS poderá ser feito por outras 60 milhões, diz Caixa

Pedro Guimarães, presidente da Caixa: banco já conta com 121 milhões de contas digitais (Adriano Machado/Reuters)

Pedro Guimarães, presidente da Caixa: banco já conta com 121 milhões de contas digitais (Adriano Machado/Reuters)

N
Natália Flach

23 de junho de 2020, 16h26

Por meio da Caixa, 64 milhões de brasileiros devem receber auxílio emergencial e outros 60 milhões poderão resgatar parte do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) – a primeira parcela começa a ser paga na próxima segunda-feira –, além dos beneficiários do Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (BEM). "Oito em cada 10 adultos receberão alguma ajuda do governo federal distribuída pelos bancos", afirma Pedro Guimarães, presidente da Caixa, durante evento virtual Ciab Febraban, nesta terça-feira. É bom lembrar que o FGTS é direito do trabalhador e não se enquadra exatamente na categoria benefício.

O executivo diz ainda que 175.000 pequenas e micro empresas já se cadastraram para receber linha de capital de giro do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) de 200.000 analisadas. "É claro que existe competição [entre as instituições], mas o sistema financeiro não seria tão forte se não houvesse troca de experiências entre os bancos", diz. "Nas últimas semanas, nossos 35.000 funcionários receberam muito apoio de bancários de outros bancos. Não podemos achar que banco é [Avenida Brigadeiro] Faria Lima, é também Pacaraima (Roraima), na fronteira com a Venezuela."

As distâncias ficam menores com o uso da tecnologia. Mas mais do que isso: ela permite que pessoas do interior não precisem aguardar até três meses para ir à agência de cidades vizinhas para resgatar os benefícios. É imediata injeção de dinheiro nas 121 milhões de contas digitais que a Caixa tem hoje. "É uma revolução", diz Guimarães, sobre a democratização do acesso. Apesar disso, as unidades físicas e agências barco ainda serão importantes principalmente no interior do Brasil onde não há sinal de internet, segundo o executivo."Já pagamos a terceira parcela do auxílio [emergencial] para 10 milhões de pessoas."

Essa nova relação com a Caixa já deu resultados. Na última sexta-feira, o banco bateu recorde na geração de crédito consignado e de seguro prestamista. "Superou o período pré-pandemia. Isso mostra a eficiência da Caixa, mesmo com muitos funcionários em casa."