Negócios

Miguel Fernandes, CTO da Witseed: o que aprendi com os 3 finalistas do Web Summit Rio 2023

Os fundadores da Wisecut, Jade Autism e Jobecam, as três startups que chegaram à final do "Pitch Competition", compartilham impressões sobre o Web Summit Rio, os desafios como empreendedores e a visão de futuro dos negócios

Web Summit Rio: as startups finalistas à espera do resultado (Miguel Fernandes/Exame)

Web Summit Rio: as startups finalistas à espera do resultado (Miguel Fernandes/Exame)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 10 de maio de 2023 às 17h44.

Última atualização em 10 de maio de 2023 às 20h05.

O primeiro Web Summit no Rio de Janeiro foi um grande sucesso. Mais 21 mil pessoas compareceram neste ano, o prefeito Eduardo Paes estima 40 mil no ano que vem, e 80 mil para 2025. Vai crescer mais rápido que muita startup. Como carioca, fiquei muito feliz de ver essa mistura de samba, tecnologia e startups ter dado certo.

O que eu mais gosto nos eventos do Web Summit não são as palestras, as estrelas para mim são as startups. E foi um verdadeiro desfile. Tive o prazer de conversar com mais de 150 das quase mil que estavam lá. Fiz um compilado nos artigos que publicamos aqui na semana passada.

Terminada a festa, eu não poderia deixar de compartilhar o bate-papo que tive com os três grandes finalistas do “Pitch competition” de nível global: Wisecut, Jade Autism e Jobecam. Três startups com fundadores nordestinos que criam tecnologia para resolver os desafios do mundo atual.

  • O Wisecut é um software online de edição automática de vídeo que utiliza IA e reconhecimento de voz para editar seus vídeos.
  • A Jade Autism, grande vencedora, desenvolve soluções educacionais voltadas para crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA) e outras neurodiversidades, auxiliando no desenvolvimento cognitivo e utilizando a tecnologia em prol da educação inclusiva.
  • A Jobecam é pioneira em Entrevista Anônima por vídeo.

Conversei com cada um dos fundadores sobre o Web Summit, conselhos para quem quer ganhar no próximo ano, aprendizados na jornada do empreendedorismo, expectativa de crescimento, como estão usando inteligência artificial nos negócios e muito mais. Dá uma olhada:

Balanço geral do Web Summit

O Ivo Machado, da Wisecut, me disse que a experiência foi única e enriquecedora. Além de se reconectar com o cenário tech do Brasil, a startup pode estreitar relações com potenciais investidores tanto do Brasil como do Vale do Silício.

“Nós já viemos de um bom momento devido ao nosso acentuado crescimento em janeiro, mas o evento foi o que nos deu a visibilidade para mostrarmos todo o nosso potencial”, disse.

Os representantes das três startups vencedoras: Wisecut, Jade Autism e Jobecam (Miguel Fernandes/Exame)

Ele elogiou a estrutura do evento e do palco principal, assim como a diversidade e interação proporcionadas pelo aplicativo do evento. “Que palco lindo! A princípio, para nós que estávamos competindo nesse palco, foi um pouco intimidador, mas depois que entramos foi muito gratificante fazer parte disso”, afirmou

A Jade Autism já tinha ganhado a Copa do Mundo das Startups em Dubai, mas o Ronaldo Cohin, CEO da empresa, me disse que a repercussão do Web Summit foi bem maior. “A repercussão do Web Summit foi 50x maior. A capilaridade de possibilidades pro Jade pós-evento foi muito acima do que esperávamos.”

Ronaldo também chamou a atenção para o nível dos participantes. especialmente na fase final, onde as startups apresentadas eram incríveis. Aproveitou para elogiar os outros finalistas: "Tanto a Cammila quanto o Ivo são empreendedores do mais alto nível.”

Cammila Yochabell, CEO e Founder da Jobecam, gostou da oportunidade de conhecer e trocar ideias com personalidades influentes, como Luciano Huck e Bruno Gagliasso. Destacou também o contato que teve com grandes companhias como a Claro e Oracle. “Visibilidade, esta é a palavra que escolho”, resumiu. 

O Web Summit Rio se provou como um espaço de grande relevância para as startups brasileiras. Além da oportunidade de apresentar suas ideias e se conectar com investidores e empreendedores de todo o mundo, percebi que o evento pode ser uma alavanca importante para o crescimento e consolidação dos negócios.

A fórmula para ganhar o Web Summit

Perguntei a cada um dos finalistas por que achavam que tinham sido escolhidos e quais conselhos dariam para quem quer ganhar no ano que vem?

O Ivo, da Wisecut, falou do fato de terem sido visionários, enxergaram o potencial da IA na edição de vídeo antes do hype, o que os colocou em uma posição privilegiada. E também de resiliência: “O segredo é não desistir. É saber que empreendedorismo é uma maratona e não um sprint (corrida rápida de curta distância), e que cada um tem o seu tempo: para alguns, vem mais cedo e, para outros, mais tarde”.

Ronaldo Cohin, da Jade Autism, é veterano de outras competições. Ele comentou que sua habilidade em explicar de forma clara o propósito do negócio foram fatores-chave para a vitória. “Acho que a questão do impacto social também acabou contando para os votos populares”. Para aqueles que querem ganhar no próximo ano, aconselha a focar em um propósito forte e comunicá-lo de forma clara.

A Cammila Yochabell, da Jobecam, também ressaltou o propósito. Ela me contou que o amor pelo que faz, o propósito bem definido e boa tecnologia foram os fatores que os levaram a chegar à final. “Temos uma equipe incrível focada e dedicada em alavancar a Jobecam."

O sucesso dessas três startups brasileiras no Web Summit Rio 2023 reflete a força e o potencial do ecossistema de startups do Brasil. 

Desafios de empreender

Como fundador de startups, sei que muitas vezes pensamos em desistir, a jornada empreendedora não é fácil. Então eu perguntei a eles o que disseram para si mesmos nas vezes que pensaram em desistir.

O Ivo, da Wisecut, falou do esforço adicional para chegar ao sucesso. “É quando você acha que já deu o seu melhor e entrega aqueles 2% a mais que fazem toda a diferença. Se você observar atletas olímpicos, por exemplo, os extraordinários normalmente ganham por uma fração de segundos. É isso que eu acho quando penso em desistir. “

Ele afirma que gostaria de ter aproveitado mais cada momento do presente, em vez de viver apenas no futuro: “Nós, como empreendedores, tendemos a viver no futuro. Como empreendedores, é importante termos a visão futura, mas vivermos no presente enquanto antecipamos as tendências é uma arte”, concluiu.

Ronaldo, da Jade Autism, comentou sobre a importância de seguir os instintos e não ter medo de ouvir e ignorar conselhos contrários de quem não está no dia a dia. “Hoje o que nos dá mais dinheiro é, justamente, o que um dos nossos primeiros fundos investidores mais pediu para não fazermos. Eles não podiam estar mais errados”, afirmou.

Falamos também sobre o desafio de montar o time certo. Ronaldo disse que escolheria melhor as pessoas que o acompanharam em sua jornada empreendedora, pois cometeu erros nessa seleção e isso acabou custando caro para a empresa posteriormente. “Acho que como fundador cometi erros em quem deveria estar conosco e isso nos custou caro tempos depois.”

A Cammila (Jobecam) destacou que o reconhecimento de clientes, investidores e candidatos é uma fonte incrível de motivação. “Ter pessoas incríveis, investidores gigantes segurando a minha mão e falando: Vai que tô contigo! Ter pessoas candidatas me escrevendo e agradecendo por nossa existência, tudo isso me impulsiona”, concluiu.

Todos foram unânimes sobre a importância da perseverança, abertura para mudanças e confiança nas ideias e intuições. 

Crescendo no inverno das startups

A Wisecut disse que está muito animada com crescimento em 2023, tendo registrado um aumento de 500% em janeiro e dobrando seus resultados a cada mês. Bernardo Cunha, Customer Success Lead da empresa, enfatizou: “Temos grandes expectativas de continuar crescendo e nos consolidando no mercado”.

Ronaldo (Jade Autism) saiu do evento ainda mais otimista: "Nós já tivemos um crescimento de 5x de 2021 para 2022, e antes do Web Summit nosso crescimento era de novo de 5x para 2023. Porém, após a repercussão e visibilidade, teremos de sentar de novo e refazer esses cálculos”.

Na Jobecam estão mais conservadores, mas nada de crise. A Cammila me disse que prevê um crescimento de 40% em comparação com o ano anterior. Recentemente, eles receberam um investimento de Armínio Fraga e Daniel Gleizer. “Acredito que neste ano não cresceremos o tanto que eu gostaria em termos financeiros, mas com certeza cresceremos bastante em termos de estrutura como um todo”, afirmou.

Em suma, a Wisecut planeja continuar se consolidando no mercado, a Jade Autism vai refazer os cálculos após a repercussão no Web Summit, e a Jobecam está focada em organizar pontos internos para crescer de forma sustentável.

Inteligência artificial

Inteligência artificial foi o grande tema do Web Summit Rio 2023 e eu não poderia terminar a conversa sem perguntar como cada uma das três startups está aplicando a IA nos negócios. Aproveitei para questionar os resultados que estão tendo até agora.

A Wisecut é uma empresa que tem a inteligência artificial incorporada no próprio DNA desde o nascimento. “Desde o início, nós usamos o reconhecimento de voz e IA para analisar o conteúdo falado do vídeo e criar cortes, tornando um vídeo mais conciso e engajante com legendas, música e outras técnicas de edição”, afirmou Vicente Machado, CTO da Wisecuts. A IA é uma grande oportunidade para a empresa, visto que o streaming de vídeo está em constante crescimento e a demanda por conteúdo em vídeo é cada vez maior. 

O Ronaldo me contou que a Jade Autism usa a IA para gerar atividades de sala de aula baseadas nos relatórios cognitivos das crianças com autismo e também para predizer a possibilidade de autismo em crianças de 3 a 9 anos por meio da ferramenta de Eye-tracking. A empresa tem um papel importante na inclusão social e na promoção da educação inclusiva, é um caso de uso que mostra como a IA pode ser usada para fins nobres.

A Jobecam vem usando a IA para ranquear os talentos e animar seus avatares. A empresa se destaca por ter muito cuidado com o viés (bias) da IA, garantindo a imparcialidade no processo de recrutamento. 

“Não à toa também ganhamos o prêmio de convocatória de gênero e IA do Bid Labs ano passado”, me disse a Cammila.

Fiquei feliz de ver a inteligência artificial sendo aplicada de forma responsável, com propósitos nobres, promovendo a inclusão social, a educação e a igualdade de gênero. 

Concordo com o Ronaldo quando ela faz a ressalva de que “A IA precisa ser usada com responsabilidade”. Espero que mais empresas sigam os exemplos desses três vencedores.

O primeiro Web Summit no Rio de Janeiro foi mesmo um grande sucesso. Fiquei orgulhoso de ver uma startup de RH e uma de Educação e Inclusão no topo. E a inteligência artificial sendo o foco da terceira.

Um belo retrato do potencial  do empreendedorismo brasileiro, que definitivamente não está mais confinado ao tradicional eixo Rio-São Paulo. Simbólico termos três nordestinos na final, dois baianos e uma potiguar.

Na terra do samba, quem ganhou foi o forró.

Até 2024, Web Summit Rio.

Acompanhe tudo sobre:EmpreendedorismoWebsummitStartups

Mais de Negócios

Universidade aposta em software com IA para aumentar a segurança no campus

Sebrae promove evento gratuito sobre sustentabilidade para pequenos negócios. Inscreva-se

Os CEOS mais bem pagos em 2023 nos EUA

O reparo antes de 'rampar': Mecanizou investe R$ 20 mi para mudar tudo e ir além da zona norte de SP

Mais na Exame