Negócios

Méliuz vira sócia de startup mineira para deixar o cliente cada vez mais fiél

A transação foi de R$ 2,9 milhões e envolveu quase 20% da empresa

João Machado, CEO da Zoppy; Alexandre Kac, COO da Zoppy; e Guilherme Avelar, CMO da Zoppy: startup agora tem a Méliuz como sócia (Matheus Magalhães/Divulgação)

João Machado, CEO da Zoppy; Alexandre Kac, COO da Zoppy; e Guilherme Avelar, CMO da Zoppy: startup agora tem a Méliuz como sócia (Matheus Magalhães/Divulgação)

Daniel Giussani
Daniel Giussani

Repórter de Negócios

Publicado em 24 de abril de 2024 às 18h41.

Tão difícil como colocar um cliente pela primeira vez dentro de uma loja, é fazer ele voltar. O consumidor fiel pode ser a garantia de um bom faturamento naquele mês em que as vendas não estão muito aquecidas. Por isso, a dificuldade é proporcional à importância de fidelizar o cliente.

Para manter o cliente perto, as empresas adotam várias estratégias. Há aquelas que mandam mensagens personalizadas no WhatsApp. Outras, enviam promoções por e-mail. Há também quem crie programas de fidelidade. 

Por trás de todas essas estratégias, estão as equipes de CRM, sigla para Customer Relationship Management — o relacionamento com cliente, no bom português.

A startup mineira Zoppy trabalha com CRM. Ela tem uma plataforma online que permite a varejistas fazerem toda gestão do pós-venda. Por ali, é possível fazer uma análise dos clientes, identificar o que eles mais gostam, e fazer promoções personalizadas para cada consumidor, por exemplo. Também consegue organizar campanhas de cashback, fazer análise de mercado e montar curvas de venda, para identificar quais são os produtos que mais vendem.

A empresa nasceu em 2022 e hoje conta com cerca de 600 clientes. Agora, recebe um apoio importante para sua expansão. A Méliuz, empresa de cupons de desconto e cashback para o consumidor final, acaba de virar sócia da startup,com 19,4% de participação. A transação foi de 2,9 milhões de reais

“A Méliuz tem uma base de usuários querendo consumir e ter benefícios. A Zoppy tem uma série de marcas que quer fidelizar o cliente e está pronta para dar benefícios”, diz João Machado, CEO e sócio-fundador da Zoppy. “A nossa ideia é juntar as duas forças para criar um novo produto, a ser desenvolvido a partir de agora”.

Qual é a história da Zoppy

A Zoppy nasceu em 2022 em Belo Horizonte. Os dois sócios-fundadores, João Machado e Alexandre Kac, já trabalham juntos numa consultoria para varejo. Mas o negócio estava estagnado. 

“Fomos percebendo que a consultoria não era nossa pegada”, diz Machado. “Ficávamos na teoria, sem potencialidade de crescer. Foi quando pensamos nesse lado de ferramentas para o varejo”. 

Começaram, então, a desenvolver a Zoppy. Guilherme Avelar, o terceiro sócio, entrou depois. Antes, foi o primeiro cliente da startup mineira. 

Ao longo de 2022, a startup trabalhou para desenvolver o produto, fazer os ajustes e captar os primeiros clientes. Tanto é que fecharam o ano com 10 clientes. A solução, mesmo, foi para as prateleiras ano passado, quando faturou o primeiro milhão de reais e atingiu os primeiros 500 varejistas clientes.

Quer dicas para decolar o seu negócio? Receba informações exclusivas de empreendedorismo diretamente no seu WhatsApp. Participe já do canal EXAME Empreenda

Agora, com a plataforma bem estruturada, a previsão é faturar 6,5 milhões de reais.

Hoje temos 40 pessoas no time”, afirma o CEO. “Vamos trabalhar para nos posicionar ainda mais no mercado, que é gigantesco, mas que tem poucas empresas que atendem esse cliente, o médio varejista, que fatura cerca de 350.000 reais por mês”.

“A ideia com a entrada da Méliuz é casar interesse do lojista com cliente, estreitar laços com o nosso lojista”, complementa. 

A aquisição prevê também que, à medida que os anos passem e, conforme os resultados, a Méliuz poderá fazer novas ofertas, até adquirir a operação por completo. 

Quer dicas para decolar o seu negócio? Receba informações exclusivas de empreendedorismo diretamente no seu WhatsApp. Participe já do canal EXAME Empreenda

Como foi a aproximação com a Méliuz 

A aproximação com a Méliuz se deu porque a Zoppy conta com alguns investidores-anjos, e um deles conhecia a startup listada na Bolsa de Valores.

“Eles nos apresentaram ao CEO da Méliuz. Começamos uma conversa, mas na época éramos muito pequenos”, diz Machado. “Fomos namorando durante muito tempo, até chegar o momento em que eles puderam entrar como sócios. Rolou o casamento”. 

A parceria entre as marcas acontece em um momento em que a Zoppy tem planos ousados de expansão. A startup, que foi fundada em 2022 e já impactou mais de 3,7 milhões de consumidores em todo o Brasil a partir da fidelização, prevê crescer, até dezembro, aproximadamente 788,5% em comparação ao ano passado, além de conquistar 1.200 novos clientes.

Acompanhe tudo sobre:Startups

Mais de Negócios

Para além do marombeiro: rede de academias do Nordeste faz R$ 300 milhões "brigando contra o sofá"

Problemas complexos estão travando a sua empresa? Veja 5 dicas para gerenciá-los

Ele vendia trufas e hoje fatura R$ 80 milhões com a maior rede de pilates da América Latina

Ronaldo pode vender clube espanhol por um quarto do valor embolsado com o Cruzeiro

Mais na Exame