Negócios

Máquina de Vendas acerta recuperação extrajudicial

Medida visa reestruturar dívida de cerca de R$ 3 bilhões, sendo metade deste valor com fornecedores

Loja da Máquina de Vendas: ex-sócio tem plano ambicioso em nova empresa  (Daniel Iglesias/O TEMPO/FuturaPress)

Loja da Máquina de Vendas: ex-sócio tem plano ambicioso em nova empresa (Daniel Iglesias/O TEMPO/FuturaPress)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 21 de agosto de 2018 às 14h35.

Última atualização em 21 de agosto de 2018 às 14h41.

São Paulo - A varejista Máquina de Vendas, dona das redes Ricardo Eletro e Insinuante, deverá protocolar nesta terça-feira, 21, plano de recuperação extrajudicial para reestruturar dívida de cerca de R$ 3 bilhões, sendo metade deste valor com fornecedores. Na segunda-feira, 20, à noite, as partes estavam reunidas para acertar os últimos detalhes do acordo, segundo duas fontes a par do assunto.

O processo de reestruturação está sendo conduzido pelo grupo Starboard, companhia brasileira de private equity (que compra participação em empresas) e de reestruturação de empresas em dificuldades.

A expectativa, se o acerto for fechado, é de que a Starboard faça um aporte de R$ 250 milhões na companhia e se torne controlador do negócio. Pelas conversas atuais, a Starboard - que tem o fundo americano Apollo como sócio - ficaria com 72,5%. O restante seria dos atuais controladores. Este desenho ainda pode ser revisto, disse uma fonte.

Nas negociações, os fornecedores devem se dispor a liberar linhas de crédito à companhia de cerca de R$ 800 milhões. A empresa, que hoje está devendo para as indústrias, precisa desse fôlego para reabastecer suas unidades com produtos. Para completar o plano, o grupo espera levantar outros R$ 250 milhões com fundos de investimento.

Com faturamento de cerca de R$ 5,2 bilhões, a Máquina de Vendas tem 650 lojas e é a terceira empresa desse setor no País A varejista chegou a ter 1,2 mil lojas, mas teve de enxugar o negócio por causa da crise. Há alguns anos está em busca de um parceiro para o negócio.

Procurado, Pedro Bianchi, da Starboard, confirmou as negociações. O executivo deverá ser anunciado como conselheiro da empresa assim que o acordo sair.

A Máquina de Vendas não retornou o contato da reportagem até o fechamento do texto.

 

Acompanhe tudo sobre:Máquina de VendasRecuperações judiciaisVarejo

Mais de Negócios

De pequena lanchonete à franquia bilionária: o que o sucesso do McDonald’s ensina aos empreendedores

Desenrola Pequenos Negócios renegocia R$ 1,25 bilhão até 12 de junho

Executivos veem a inteligência artificial como um “divisor de águas”

Para onde vai o lixo que foi multiplicado pelas enchentes no Rio Grande do Sul?

Mais na Exame