Negócios

Kroton confirma Galindo na presidência após fusão

Gabriel Mário Rodrigues, que era presidente do Conselho de Administração da Anhanguera, assume a presidência do Conselho da empresa


	Galindo, da Kroton: ele será responsável por 12 reportes diretos
 (Germano Lüders/EXAME.com)

Galindo, da Kroton: ele será responsável por 12 reportes diretos (Germano Lüders/EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 7 de julho de 2014 às 10h22.

São Paulo - A Kroton confirmou nesta segunda-feira, 07, em comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a nova estrutura organizacional após a fusão com a Anhanguera, aprovada no último dia 3 de julho.

O presidente da Kroton, Rodrigo Galindo, fica na presidência da empresa e Gabriel Mário Rodrigues, que era presidente do Conselho de Administração da Anhanguera, assume a presidência do Conselho da Kroton.

Para o conselho, quatro membros foram indicados pela Anhanguera e nove pela Kroton, sendo, no total de 13 membros, quatro conselheiros independentes.

O presidente Rodrigo Galindo será responsável por 12 reportes diretos, sendo três diretorias suplementares e nove vice-presidências. Abaixo de Galindo, Carlos Lazar continua como Diretor de Relações com Investidores e Gislaine Moreno continua na Diretoria de Desenvolvimento Institucional (DDI).

A vice-presidência de finanças será ocupada por Frederico Abreu e o antigo CFO da Anhanguera, Maron Magalhães, assume a vice-presidência administrativa da Kroton. Roberto Valério, que era o CEO da Anhanguera assume a vice-presidência de graduação EAD e Polos.

No comunicado, a Kroton também informou o processo de integração. Segundo a companhia, a primeira etapa, chamada Planejamento da Integração, foi iniciada em 22 de abril de 2013.

A segunda etapa, Execução da Integração, iniciada agora no mês de julho, foi dividida em quatro fases e tem previsão de término em dezembro de 2015.

A Kroton destacou novamente, em relação às sinergias, o valor de R$ 300 milhões (anuais) a serem capturados em até 36 meses.

"Vale destacar que a Administração está convicta de que existe um potencial relevante de captura de sinergias e eficiências operacionais adicionais que serão buscadas durante o processo de integração", enfatizou a empresa.

Acompanhe tudo sobre:Anhanguera EducacionalCogna Educação (ex-Kroton)EducaçãoEmpresasEmpresas abertasSetor de educação

Mais de Negócios

Os CEOS mais bem pagos em 2023 nos EUA

O reparo antes de 'rampar': Mecanizou investe R$ 20 mi para mudar tudo e ir além da zona norte de SP

A nova aposta da WeWork: andares exclusivos para empresas

Previsão é que produção de calçados esteja normalizada no RS até fim de junho

Mais na Exame