Negócios

Herdeiros da Dr. Oetker entram para a lista dos bilionários

Segundo a Bloomberg, império vale hoje U$ 14,8 bilhões e é dividido igualmente pelos oito filhos de Rudolf-August Oetker


	Dr. Oetker: os 8 herdeiros do fundador entraram para a lista dos bilionários da Bloomberg
 (Divulgação/Dr. Oetker)

Dr. Oetker: os 8 herdeiros do fundador entraram para a lista dos bilionários da Bloomberg (Divulgação/Dr. Oetker)

DR

Da Redação

Publicado em 4 de fevereiro de 2014 às 10h16.

São Paulo – A gigante de alimentos Dr. Oetker, uma das marcas alemãs mais conhecidas internacionalmente, produz muito mais do que fermentos, chás e outros ingredientes. Segundo a revista Bloomberg, ela produziu também oito bilionários.

Todos eles são filhos dos três casamentos de Rudolf-August Oetker, o neto do fundador August Oetker.

Rudolf foi responsável por transformar a pequena fornecedora de alimentos do avô em um conglomerado presente em dezenas de países e em ramos que vão desde alimentos até instituições financeiras e redes de hotéis.

O império é avaliado em 14,8 bilhões de dólares e é dividido igualmente entre os oito irmãos – Rosely Schweizer, August Oetker, Bergit Douglas, Christian Oetker, Richard Oetker, Alfred Oetker, Carl Ferdinand Oetker e Julia Oetker –, o que faz com que cada um deles tenha uma fortuna de aproximadamente 1,85 bilhão de dólares. Nenhum deles havia sido computado como bilionário antes.

História

A Dr. Oetker foi fundada em 1891, quando o farmacêutico August Oetker passou a vender fermento em sachês que não alteravam o gosto da comida.

Com o tempo, a empresa foi diversificando seus ramos de atuação, mas só despontou mesmo quando entrou para a lista de empresas que forneciam mantimentos para o exército nazista durante a Segunda Guerra Mundial.

Em 1944, quando sua família foi morta após um bombardeio em Biefeld, na Alemanha, Rudolf-August, então com 28 anos, deixou seu posto de cadete da SS, a força militar nazista, e assumiu o negócio.

Ao longo de 60 anos, Rudolf expandiu a companhia para os ramos de distribuição, alimentos, bebidas, bancos e hotéis. A empresa, hoje, está presente em toda a Europa e em países como Brasil, Argentina, Canadá, Índia e China.

Em outubro do ano passado, August Oetker, filho de Rudolf-August e presidente executivo da marca, assumiu as ligações da família e da empresa com o nazismo. Com a descoberta de que ele e seus irmãos estão na lista dos que possuem mais de um bilhão de dólares, o assunto deve voltar a atormentar a família.

Acompanhe tudo sobre:BilionáriosBloombergEmpresasEmpresas alemãsNazismo

Mais de Negócios

Justiça aceita pedido de recuperação judicial da Polishop

Fernando Goldsztein: Toda a ajuda é pouca para os atingidos pelas enchentes do RS

Rodízio caro: rede de restaurantes Red Lobster pede recuperação judicial com dívida de US$ 1 bilhão

A startup que pretende usar um fundo de R$ 150 milhões para salvar negócios no Rio Grande do Sul

Mais na Exame