Negócios

H&M desiste de abrir lojas no Brasil - de novo

A rede já ensaiou algumas vindas ao país e acaba de desistir mais uma vez, segundo colunista


	H&M: a rede de lojas já ensaiou algumas vindas ao país e acaba de desistir mais uma vez, segundo colunista
 (Krisztian Bocsi/Bloomberg/Bloomberg)

H&M: a rede de lojas já ensaiou algumas vindas ao país e acaba de desistir mais uma vez, segundo colunista (Krisztian Bocsi/Bloomberg/Bloomberg)

DR

Da Redação

Publicado em 16 de novembro de 2014 às 14h05.

São Paulo - Depois do furor com a chegada da Forever 21 ao Brasil, com filas que ultrapassavam cinco horas para entrar na loja, outras grandes redes de varejistas passaram a olhar o país com interesse. Uma delas é a sueca Hennes & Mauritz, a H&M.

No final de 2013, a marca anunciou que abriria sua primeira loja brasileira neste ano. Até o local já estaria definido: a Avenida Paulista. Na época, a segunda maior varejista do mundo disse que iria chegar a 40 unidades no país no médio prazo. Só em 2014 seriam cinco lojas.

Em agosto deste ano, voltou a falar sobre a expansão no país. Mas, segundo a coluna Radar Online, da Veja, a marca desistiu de novo. A coluna afirma que os executivos da rede chegaram a negociar com shoppings centers, mas não desenvolveram o plano e tiraram o Brasil da rota.

O Brasil assusta a marca pelos altos custos de instalação - seria uma das poucas experiências no hemisfério sul - e também pela alta competitividade dos players que já estão por aqui. Atualmente, a H&M tem cerca de 3.000 lojas.

A H&M registrou alta de 20% no lucro antes de impostos no seu terceiro trimestre fiscal, que vai de junho a agosto, chegando a 974 milhões de dólares.

Acompanhe tudo sobre:América LatinaComércioDados de BrasilEmpresasFast fashionH&MIndústria de roupasVarejo

Mais de Negócios

Temu: quem é a rival da Amazon nos EUA que acaba de ser autorizada a atuar no Brasil

JBS anuncia doação de 1 milhão de quilos de proteína aos desabrigados no Rio Grande do Sul

Na Prosegur, os candidatos são avaliados pela simpática Rose, a chatbot do grupo

Com tecnologia para tirar o Excel da vida de CFOs, Accountfy capta US$ 6,5 mi com HDI e Red Ventures

Mais na Exame