Negócios

Gestora fundada por Camila Farani capta US$ 5,2 milhões. Veja para onde vai o dinheiro

Com foco na internacionalização de empresas brasileiras, a gestora de fundo Staged Ventures anuncia nesta sexta-feira, 26, seu primeiro investimento

Camila Farani é cofundadora da gestora de fundo de investimentos Staged Ventures (Divulgação/Divulgação)

Camila Farani é cofundadora da gestora de fundo de investimentos Staged Ventures (Divulgação/Divulgação)

Isabela Rovaroto

Isabela Rovaroto

Publicado em 26 de agosto de 2022 às 09h56.

Última atualização em 28 de agosto de 2022 às 09h45.

Menos de dois meses depois de chegar ao mercado, a Staged Ventures anuncia nesta sexta-feira, 26, o seu primeiro investimento. A gestora de fundo de investimentos cofundada por Camila Farani, Geraldo Neto e Flavio Pripas fez uma captação de US$ 5,2 milhões, consolidando a compra de ações da startup brasileira Digibee.

Assine a EMPREENDA e receba, gratuitamente, uma série de conteúdos que vão te ajudar a impulsionar o seu negócio

"Queremos impulsionar empresas brasileiras de qualidade que buscam a internacionalização e a Digibee se encaixa perfeitamente nesse perfil. O cenário atual do investimento de risco exige cautela, mas existem muitas oportunidades para serem exploradas. É muito gratificante dar este primeiro passo com tão pouco tempo desde o lançamento da Staged Ventures", diz Camila Farani, uma das maiores investidoras-anjo do Brasil.

Conheça a Digibee

Fundado em 2017, a Digibee é uma plataforma em nuvem que acelera projetos de integração de sistemas. Atualmente conta com mais de 150 clientes como Itaú, B3 e Assai.

A startup tem clientes na América Latina e nos Estados Unidos, com uma operação com mais de 60 pessoas somente nos Estados Unidos e mais de 250 no Brasil e em outros países.

A startup recebeu um aporte de US$25 milhões em janeiro de 2022, liderado por Softbank e com participação de Kinea Ventures e G2D, para avançar no mercado americano.

"A Digibee está acelerando rápido e, mesmo num cenário negativo de mercado, está entregando resultados acima do planejado. O processo de internacionalização para os EUA e América Latina está avançado e, já no próximo ano, provavelmente levaremos as soluções de integração de sistemas para outras regiões do mundo", diz Flávio Pripas, sócio da Staged Ventures.

A Staged Ventures

O objetivo inicial da Staged Ventures é investir US$ 50 milhões até dezembro de 2023 — e os próximos passos já foram definidos.

"Estamos preparando uma captação de US$ 10 milhões para um novo investimento, a ser realizado até outubro de 2022. Ainda não podemos revelar os detalhes, mas em breve teremos novidades", antecipa Geraldo Neto.

Criada em Miami, nos Estados Unidos, a Staged Ventures realiza a gestão de fundos de investimentos com foco na internacionalização de empresas brasileiras. A empresa foca em startups B2B em estágio Seed, Series A ou B, com potencial de entrada no mercado americano.

Priorizando negócios operacionais e com modelos de execução robustos, a iniciativa viabiliza investimentos primários e secundários para multiplicá-los com mais segurança. Uma extensa rede formada ao longo de anos pelos grandes nomes do investimento — com atuação nacional e internacional — que lideram a Staged Ventures permite negócios consideráveis.

Na Staged Ventures, os investimentos podem chegar a até US$ 50 milhões, entre 10 a 12 startups, com tickets de US$ 1,5 milhão a US$ 10 milhões por empresa.

VEJA TAMBÉM:

Acompanhe tudo sobre:Estados Unidos (EUA)Investimentos de empresasStartups

Mais de Negócios

Problemas complexos estão travando a sua empresa? Veja 5 dicas para gerenciá-los

Ele vendia trufas e hoje fatura R$ 80 milhões com a maior rede de pilates da América Latina

Ronaldo pode vender clube espanhol por um quarto do valor embolsado com o Cruzeiro

Mora no exterior e quer doar recurso ao RS? Agora é possível através destas instituições financeiras

Mais na Exame