Negócios

Fnac anuncia que irá se retirar do Brasil

A Fnac está presente no Brasil desde o fim dos anos 1990, mas, há alguns anos, já tinha apontado dificuldades para atingir um nível crítico

Fnac: o Brasil representa menos de 2% do volume de vendas total da empresa (Alexandre Battibugli/EXAME.com)

Fnac: o Brasil representa menos de 2% do volume de vendas total da empresa (Alexandre Battibugli/EXAME.com)

A

AFP

Publicado em 28 de fevereiro de 2017 às 17h12.

Última atualização em 1 de março de 2017 às 16h14.

A distribuidora de produtos eletrônicos, culturais e eletrodomésticos francesa Fnac Darty anunciou nesta terça-feira que irá se retirar do Brasil, ao mesmo tempo em que indicou que a companhia havia registrado um resultado líquido em equilíbrio (zero) em 2016.

Apesar deste resultado, o grupo afirmou que suas vendas e sua rentabilidade têm aumentado.

A Fnac Darty anunciou a intenção de vender a filial brasileira. O grupo "começou um processo ativo para buscar um sócio que dê lugar à retirada do país", segundo um comunicado.

A Fnac está presente no Brasil desde o fim dos anos 1990, mas, há alguns anos, já tinha apontado dificuldades para atingir um nível crítico no país.

O Brasil representa menos de 2% do volume de vendas total da Fnac, que possui cerca de uma dezena de lojas no país.

O lucro líquido ajustado do grupo foi de 54 milhões de euros, um aumento de 37% em relação ao ano anterior, segundo o comunicado. O volume de negócios aumenta tanto em dados publicados (+43,6%) quanto em dados pró-forma (+1,9%), a 7,4 bilhões de euros.

As vendas do grupo subiram 79,6% no quarto trimestre, segundo dados publicados.

No conjunto de 2016, "o grupo está em crescimento tanto na França (+2,1%) quanto em nível internacional (+1,3%)", indica o texto.

"Os resultados de 2016 da Fnac Darty são muito sólidos e de forte crescimento. Todos os índices são positivos", afirmou o presidente de Fnac Darty, Alexandre Bompard, citado no comunicado.

Acompanhe tudo sobre:e-commerceEmpresasFnac

Mais de Negócios

Empreendendo no mercado pet, ele saiu de R$ 50 mil para R$ 1,8 milhão. Agora, aposta em franquias

Ele quer chegar a 100 lojas e faturar R$ 350 milhões com produtos da Disney no Brasil

Shopee ultrapassa Amazon e se torna segundo e-commerce mais acessado do Brasil em maio; veja a lista

Por que a Cimed está disposta a pagar R$ 450 milhões pela Jequiti

Mais na Exame