FedEx vai processar governo americano por guerra comercial

Empresa de serviços postais está proibida de fazer entregas de produtos chineses, como os da companhia de tecnologia Huawei
FedEx teve resultado líquido negativo de 1,97 bilhão de dólares no quarto trimestre fiscal encerrado em maio, de acordo com balanço divulgado nesta terça (25) (Justin Sullivan/Getty Images)
FedEx teve resultado líquido negativo de 1,97 bilhão de dólares no quarto trimestre fiscal encerrado em maio, de acordo com balanço divulgado nesta terça (25) (Justin Sullivan/Getty Images)
N
Natália Flach

Publicado em 25/06/2019 às 20:04.

Última atualização em 11/07/2019 às 16:57.

São Paulo - Não são apenas as empresas asiáticas que estão sob fogo cruzado. Por causa da guerra comercial entre Estados Unidos e China, a americana FedEx, conhecida por fazer entregas rápidas, está em um beco sem saída por não poder entregar produtos da companhia chinesa de tecnologia Huawei. Só que a gigante de serviço postal continua recebendo encomendas dos clientes.

Com medo de entrar para a lista negra do governo de Xi Jinping, a FedEx acabou por tomar uma decisão inusitada: vai processar a administração de Donald Trump.

“Não podemos ser os policiais do departamento de comércio exterior dos Estados Unidos”, afirmou Smith, em entrevista à Fox News. Segundo ele, a nova regulamentação criou um peso impossível para a FedEx de ter de saber a origem e o conteúdo de todos os envios.

Para se ter ideia, a gigante americana entrega cerca de 15 mil encomendas por dia em mais de 220 países e territórios.

“Achamos que essa regulamentação não tem base jurídica e esperamos que o departamento de comércio exterior chegue a uma solução que nos desobrigue a ser policiais das entregas”, acrescentou. “Se cometermos um erro, podemos ser processados em 250.000 dólares por encomenda.”

A concorrente americana United Parcel Service (mais conhecida como UPS) disse que não vai se juntar à rival no processo contra o governo americano, segundo a Reuters.

Resultados

Nesta terça-feira (25), a FedEx divulgou balanço do quarto trimestre fiscal encerrado em 31 de maio. A receita foi de 17,8 bilhões de dólares, ante os 17,3 bilhões no mesmo período do ano passado. Mas o resultado líquido foi negativo, de 1,97 bilhão.