Faturando 23 milhões, startup de Jundiaí quer se tornar o Gympass da beleza

Fundada em 2018, a UAU Box cresceu como clube de assinaturas, mas agora quer levar a experiência na área de beleza e tecnologia para o mercado de benefícios corporativos
Guilherme Brunhole (CEO e Founder da UAUBox) e Thiago Brunhole (Founder & Diretor de Operações): startup começou em Jundiaí como clube de assinaturas (Luis Amaral/Divulgação)
Guilherme Brunhole (CEO e Founder da UAUBox) e Thiago Brunhole (Founder & Diretor de Operações): startup começou em Jundiaí como clube de assinaturas (Luis Amaral/Divulgação)
L
Luciana Lima

Publicado em 31/08/2022 às 16:37.

Última atualização em 01/09/2022 às 15:48.

Em tempos de Grande Demissão, empresas estão ávidas por pacotes de benefícios diferentes como forma de atrair e reter talentos. E é nisso que o Grupo UAU, dona da UAUBox, clube de assinaturas de cosméticos, está apostando ao lançar um produto que quer ser uma espécie de “Gympass” da beleza.

De forma resumida, a ideia da UAU Benefícios é usar a experiência que a empresa possui como clube de assinatura para o mercado B2B. Com mensalidades que custam entre R$ 79 e R$ 154,90, as empresas poderão optar por diferentes planos.

Em um será possível oferecer o serviço do clube de assinatura de forma recorrente, com uma porcentagem subsidiada pela empresa e outra paga pelo funcionário, assim como acontece com o benefício do Gympass. O formato das boxes seguirá o mesmo dos kits para o consumidor final e contarão com quatro a cinco produtos de marcas como L'OCCITANE au Brésil, Natura e Eudora. 

Outra opção será contratar o serviço apenas em ocasiões especiais, como datas comemorativas, quando as companhias quiserem presentear os funcionários com boxes personalizadas com nome, logo das empresas e outras mensagens que desejarem.

De acordo com Guilherme Brunhole, CEO e cofundador do Grupo UAU, a ideia do serviço como benefício corporativo surgiu em março deste ano, quando a empresa foi procurada por gestores de recursos humanos interessados em oferecer caixas personalizadas para os funcionários em razão do Dia da Mulher.

“Vendemos mais de mil boxes de forma espontânea, somente para essas empresas e parceiros que buscaram a gente. Nós já tínhamos gift cards, mas vimos aí um mercado ainda não explorado”, diz.

Com o avanço dos casos de Burnout e outras doenças mentais, uma das tendências na área de gestão de pessoas também é apostar em benefícios relacionados ao bem-estar — algo que está no radar do empreendedor.

“Com a rotina do home-office e com o trabalho invadindo a casa das pessoas, muitas estão sentindo falta de momentos de autocuidado, de olhar para si mesmo. A UAU Benefícios é uma forma de resgatar essa autoestima para os funcionários, de uma forma diferente do que já existe no mercado”, diz Brunhole.

UAU Box é um clube de assinatura de produtos de beleza, produtos são personalizados de acordo com feedback dos clientes (Abacaxi Studio/Divulgação)

O empreendedor admite, porém, que a aposta no novo serviço tem um risco calculado, uma vez que o produto vai ser uma espécie de derivação do clube de assinaturas, fonte de renda principal da beautytech atualmente.

“O investimento para entregar esse novo serviço vai ser muito baixo, já temos toda a estrutura de logística, de parcerias e fornecedores para aquisição dos produtos. A mesma coisa se eu olhar para o custo de aquisição dos clientes. Ao fechar um contrato com uma empresa já terei vários em potenciais, o que dilui esse gasto”, diz Brunhole.

Como surgiu a UAU Box e o Grupo UAU

O lançamento do serviço para o mercado B2B está em linha com a estratégia da startup que, nos últimos anos, busca diversificar os seus negócios. Antes da UAU Benefícios, a empresa lançou duas novas divisões, a BeautyUAU, uma linha própria de skincare, e a UAUTeam, uma plataforma para micro e nano criadores de conteúdo, que mistura networking com programa de afiliados.

Fundada em 2018, em Jundiaí, por Brunhole, que é cientista de computação, junto com o irmão e três amigos, a UAU Box cresceu combinando uso de dados e machine learning para o mercado da beleza.

Toda a experiência dos consumidores do clube de vantagens é monitorada desde o começo da assinatura, que inclui um formulário com informações detalhadas sobre tipo de pele, cabelo e preferências, que vai nortear os produtos que irão na caixa.

Depois, a cada envio, um formulário é enviado para os clientes para colher o feedback de cada um deles e medir o nível de satisfação com os itens. Segundo Brunhole, ao todo, mais de 4 milhões de dados foram coletados ao longo dos quatro anos de existência da UAUBox. E, ao todo, 700 mil boxes foram enviados nesse período.

O uso de tecnologia ajudou Brunhole a criar a divisão de beleza, com uma máscara facial feita totalmente a partir de informações colhidas dentro da base de dados da UAU Box. Além disso, segundo o empreendedor, é um dos motivos para o crescimento da empresa que saltou de R$ 4,5 milhões, em 2019, para R$ 23 milhões, em 2021.

“Esse tempo todo, crescemos sem recursos externos, no chamado boostraping. E, exatamente por isso, estamos preparados para esse momento do mercado de tecnologia. Vamos focar em crescer a qualidade dos serviços oferecidos e diversificar os negócios sem grandes investimentos”, finaliza.

VEJA TAMBÉM:

Empreendedora do interior da Paraíba fatura hoje R$ 100 milhões com negócio em 35 países

Empresário mineiro fatura R$ 400 milhões com sucata e marketing criativo nas redes

Este empreendedor do Sul fatura R$ 1,9 bilhão com a venda de pneus — muitos deles pela internet