Acompanhe:
seloNegócios

Farmácias têm alta histórica nas vendas, puxada por busca por imunidade

Redes tiveram faturamento de R$ 67,5 bilhões, alta de 16% em relação a 2020 -- o maior crescimento registrado nos últimos dez anos

Modo escuro

Continua após a publicidade
 (REB Images/Getty Images)

(REB Images/Getty Images)

M
Mariana Desidério

Publicado em 2 de fevereiro de 2022 às, 11h27.

Última atualização em 3 de fevereiro de 2022 às, 10h25.

As maiores redes de farmácia do país fecharam 2021 com faturamento de 67,5 bilhões de reais, o que representa um aumento de 16,04% em relação a 2020, segundo dados da Abrafarma (Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias), que reúne 26 redes de drogarias. É o maior crescimento registrado pelo grupo nos últimos dez anos.

O futuro do varejo é 100% digital? Entenda assinando a EXAME por menos de R$ 11/mês.

Segundo a Abrafarma, o crescimento histórico indica que o brasileiro está mais preocupado com a saúde e é consequência da crescente preocupação com a imunidade, uma tendência que ganhou força com a pandemia da covid-19. A alta foi puxada principalmente pelo aumento nas vendas dos medicamentos isentos de prescrição, categoria que inclui de vitaminas a remédios para dor de cabeça. Foi o segmento que mais cresceu, com aumento de 22,9% em relação a 2020 e receita de 13 bilhões de reais.

Outro destaque é o crescimento das operações de delivery e e-commerce, que tiveram alta de 56,8%, chegando a 2,8 bilhões de reais em vendas. Um crescimento que também revela a continuidade de uma tendência reforçada no início da pandemia, com o aumento das vendas online.

Outro ponto destacado pela Abrafarma é a ampliação de serviços oferecidos pelas drogarias, o que também ajuda a aumentar as vendas. Muitas redes investiram para que suas unidades pudessem ser consideradas polos de assistência primária à saúde. A realização de testes de covid nas farmácias, largamente difundida no ano passado, é um dos exemplos desse movimento.

Os dados da Abrafarma mostram ainda que os medicamentos responderam por 68% das vendas, com faturamento de 46 bilhões de reais, 17% a mais do que em 2020.

Já os não medicamentos, categoria que inclui itens de higiene pessoal, cosméticos e perfumaria, tiveram avanço de 14%, com receita de 21 bilhões de reais.

 

Últimas Notícias

Ver mais
Em negócio de R$ 20 milhões, empresa de SP compra startup para agilizar comércio no exterior
seloNegócios

Em negócio de R$ 20 milhões, empresa de SP compra startup para agilizar comércio no exterior

Há 9 horas

29% das empresas brasileiras fecham nos primeiros 5 anos; veja como a IA pode mudar essa realidade
seloNegócios

29% das empresas brasileiras fecham nos primeiros 5 anos; veja como a IA pode mudar essa realidade

Há 11 horas

Em expansão no Brasil, Globant é classificada como marca de TI com crescimento mais rápido do mundo
seloNegócios

Em expansão no Brasil, Globant é classificada como marca de TI com crescimento mais rápido do mundo

Há 11 horas

Shopee inaugura 10º centro de distribuição no Brasil
seloNegócios

Shopee inaugura 10º centro de distribuição no Brasil

Há 11 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais