Acompanhe:
seloNegócios

Executivos de tecnologia discordam sobre vigor da recuperação

Mercado europeu de produtos de tecnologia da informação subiu em 4% no primeiro semestre

Modo escuro

Continua após a publicidade
Tecnologia: tendência de crescimento deve se manter pelo restante de 2010, informou o grupo de pesquisa de mercado GfK  (.)

Tecnologia: tendência de crescimento deve se manter pelo restante de 2010, informou o grupo de pesquisa de mercado GfK (.)

N
Nicola Leske e Tarmo Virki Reuters

Publicado em 10 de outubro de 2010 às, 03h41.

Hamburgo - Importantes executivos de empresas de bens eletrônicos de consumo, reunidos em uma feira comercial, ofereceram opiniões divergentes sobre a sustentabilidade da recuperação econômica da Europa.

"No que tange à Europa, vimos desenvolvimento positivo", disse o presidente-executivo da Navigon, fabricante de sistemas de navegação, Egon Minar, à Reuters durante a IFA, a maior feira de eletrônica da Europa.

O mercado europeu de produtos de tecnologia da informação subiu em 4 por cento no primeiro semestre do ano e a tendência deve se manter pelo restante de 2010, informou o grupo de pesquisa de mercado GfK na sexta-feira.

"Pelo restante do ano, o crescimento talvez não seja tão rápido quando no segundo trimestre, mas ainda assim será firme", disse Minar.

O presidente da divisão de eletrodomésticos da LG Electronics, Young-Ha Lee, e o responsável pela operação da Panasonic na Europa, Laurent Abadie, adotaram tom ligeiramente mais otimista.

"Esperamos ver uma ligeira recuperação na Europa no segundo semestre, ante o primeiro", disse Lee.

Abadie declarou que "existem diversas tendências de recuperação na Europa, e algumas delas são muito perceptíveis na Alemanha".

O Banco Central Europeu ainda antecipa uma recuperação moderada e irregular, disse o presidente da instituição, Jean-Claude Trichet, na semana passada.

A Alemanha - maior economia da Europa - cresceu no segundo trimestre no ritmo mais acelerado desde a reunificação, e mais de duas vezes acima da média geral da zona do euro, enquanto alguns de seus parceiros enfrentam o risco de nova recessão.

O presidente-executivo da fabricante de equipamentos de som Harman International Industries, Dinesh Paliwal, disse não ver sinais de outra recessão na economia mundial.
 


"Há quem diga que a probabilidade de uma nova recessão supera os 50 por cento, mas discordo", disse.

"Uma contração na Alemanha? Não vejo. E tampouco na China", afirmou Paliwal, acrescentando que uma causa de incerteza se referia a novos impostos e mudanças de regulamentação, especialmente nos Estados Unidos.

"No momento, muitas empresas com bilhões em reservas de caixa estão esperando para ver", disse. Para ele, mais clareza quanto ao futuro ajudaria no planejamento das empresas.

Leia mais sobre Tecnologia

Siga as notícias de Negócios do site EXAME no Twitter  


Últimas Notícias

Ver mais
Empresário capixaba quer lançar carro elétrico nacional até o final do ano
seloNegócios

Empresário capixaba quer lançar carro elétrico nacional até o final do ano

Há 5 horas

Chega de teoria: veja, na prática, como criar um negócio do zero utilizando ferramentas de IA
seloNegócios

Chega de teoria: veja, na prática, como criar um negócio do zero utilizando ferramentas de IA

Há 5 horas

Goldman Sachs lidera aporte de US$ 55 mi em Simetrik, startup que tem Brasil como pilar de expansão
seloNegócios

Lego do acerto de contas, Simetrik capta US$ 55 mi para avançar no Brasil

Há 8 horas

Moda barata para a Geração Z: a arma secreta da Zara contra a Shein
seloNegócios

Moda barata para a Geração Z: a arma secreta da Zara contra a Shein

Há 8 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais