Negócios

EUA instam AT&T a cortar laços comerciais com Huawei

Fontes também afirmaram que congressistas americanos se opõem aos planos da operadora China Mobile de entrar no mercado norte-americano

No início do mês, a AT&T foi forçada a desistir de um plano para oferecer a seus clientes aparelhos Huawei (foto/Getty Images)

No início do mês, a AT&T foi forçada a desistir de um plano para oferecer a seus clientes aparelhos Huawei (foto/Getty Images)

R

Reuters

Publicado em 16 de janeiro de 2018 às 14h10.

Washington - Congressistas dos Estados Unidos estão exortando a AT&T, segunda maior operadora de telefonia móvel do país, a cortar todos os laços comerciais com a fabricante chinesa de telefones Huawei, disseram dois assessores parlamentares.

Os congressistas também se opõem aos planos da operadora de telecomunicações China Mobile de entrar no mercado norte-americano por receios com segurança, segundo as fontes.

O aviso veio após o governo do presidente dos EUA, Donald Trump, ter endurecido políticas iniciadas por seu antecessor Barack Obama em questões que vão desde o papel de Pequim para conter a Coreia do Norte aos esforços chineses para adquirir empresas de setores estratégicos nos EUA.

No início do mês, a AT&T foi forçada a desistir de um plano para oferecer a seus clientes aparelhos Huawei após membros do Congresso norte-americano fizeram campanha contra a ideia junto a reguladores federais, disseram as fontes à Reuters.

O governo dos EUA também bloqueou uma série de aquisições de chineses por questões de segurança nacional, incluindo a proposta da Ant Financials para comprar a empresa de transferência de dinheiro dos EUA MoneyGram.

Os legisladores também estão advertindo as empresas norte- americanas de que ligações com a Huawei ou a China Mobile podem prejudicar negócios com o governo dos EUA, disse um assessor sobanonimato porque não está autorizado a falar publicamente.

A China Mobile, a maior operadora de telefonia móvel do mundo, não respondeu aos pedidos de comentário. A AT&T também não quis comentar.

Especialistas em segurança nacional temem que qualquer dado de um dispositivo Huawei sobre a localização do usuário do telefone, por exemplo, estaria disponível para os serviços de inteligência do governo chinês.

Acompanhe tudo sobre:AT&TEstados Unidos (EUA)HuaweiTelecomunicações

Mais de Negócios

Inteligência Artificial no Brasil: inovação, potencial e aplicações reais das novas tecnologias

Mundo sem cookies: as big techs estão se adequando a uma publicidade online com mais privacidade

Ligadona em você: veja o que aconteceu com a Arapuã, tradicional loja dos anos 1990

A empresa inglesa que inventou a retroescavadeira vai investir R$ 500 milhões no Brasil — veja onde

Mais na Exame