Acompanhe:
seloNegócios

Especialista em PIX, startup de gestão de pagamentos recebe aporte de R$ 7 milhões

Criada em 2017, a Transfeera focou a sua operação no PIX nos últimos anos e registrou mais de R$ 12,8 bilhões em transações ao longo de 2022

Modo escuro

Continua após a publicidade
Fernando Nunes, CEO da Transfeera: após a liberação do Banco Central para operar como instituição financeira, o objetivo é criar novos produtos e acelerar a entrada no Open Finance (Transfeera/Divulgação)

Fernando Nunes, CEO da Transfeera: após a liberação do Banco Central para operar como instituição financeira, o objetivo é criar novos produtos e acelerar a entrada no Open Finance (Transfeera/Divulgação)

M
Marcos Bonfim

Publicado em 11 de janeiro de 2023 às, 09h59.

Fintech de gestão e processamento de pagamentos para empresas, a Transfeera, de Joinville, Santa Catarina, acaba de captar R$ 7 milhões em rodada seed. O investimento foi liderado pelos fundos Honey Island e 4UM Investimentos e conta com participação da Bossanova Investimentos, Opus, Goodz Capital e Curitiba Angels.

Fundada em 2017, a startup avançou nos últimos anos com a implementação no PIX, ferramenta introduzida no mercado brasileiro no fim de 2020 pelo Banco Central. Desde 2021, a solução se tornou o principal meio de transações para a Transfeera.

A empresa nasceu olhando transferência entre companhias e pessoas. Com o passar dos anos, mudou o foco para empresas, se consolidando com uma plataforma de gestão de pagamentos e recebimentos via Pix e também uma ferramenta de validação de dados bancários para evitar erros no momento das transferências.

Qual é o momento da Transfeera

Os novos recursos chegam em um novo momento da Transfeera. A empresa está à espera autorização do Banco Central para operar como instituição de Pagamentos. Obtida a aprovação, o objetivo é criar novos produtos e serviços e acelerar a entrada no Open Finance.

Assine a EMPREENDA e receba, gratuitamente, uma série de conteúdos que vão te ajudar a impulsionar o seu negócio.

Até por isso, o capital deve ter como destinação principal dar fôlego à contratação de profissionais. A startup quer ampliar o atual quadro de 52 funcionários em 150% ao longo do ano, sendo a maior parte para a área de tecnologia.

Quais os serviços que a startup oferece

Uma das grandes investidas de 2022 da startup foi na solução batizada de “API de Iniciação de Pagamentos”, produto que reduz o número de etapas para a finalização das compras em ecommerces.

 Com o serviço, quando o consumidor inicia o processo de checkout, ele é direcionado para o aplicativo da instituição financeira em que pretende realizar o pagamento.  

"O que antes precisava de sete etapas para finalizar uma venda, agora com apenas três é possível já ter a operação concluída. O principal uso da funcionalidade é, com certeza, para o e-commerce, mas também terá uma grande utilidade para outras transações online como colocar saldo em uma carteira digital”, afirma Fernando Nunes, CEO da Transfeera desde novembro de 2022.

Nunes é também cofundador da startup ao lado de Guilherme Verdasca, ex-CEO e líder da área de design de produto, e Rafael Negherbon, CTO.

Esse serviço se alia aos outros dois produtos da casa: a plataforma “pagamento”, com gestão de pagamentos e recebimentos, usada por empresas como Zé Delivery; e o Conta Certa, de validação de dados bancários, contratada por iFood e Shopee.

Juntos, os produtos registraram movimentação superior a R$ 12,8 bilhões ao longo de 2022 em volume de transações. Em 2021, o valor tinha ficado em R$ 6,5 bilhões.

A empresa abriu o faturamento apenas parcial de 2022. Até junho do ano passado, o montante superava R$ 7,1 milhões.

LEIA TAMBÉM:

Marca de barras de proteína investe R$ 35 milhões em fábrica e mira receita de R$ 500 milhões

Escola de tecnologia de tricampeão brasileiro de robótica capta mais de R$ 23 milhões

Puma lança primeira megaloja e avisa: “estamos em uma fase de expansão”

Últimas Notícias

Ver mais
Como uma empresa faz R$ 160 milhões levando pessoas ao trabalho — sem ter sequer um veículo
seloNegócios

Como uma empresa faz R$ 160 milhões levando pessoas ao trabalho — sem ter sequer um veículo

Há 3 dias

“Estou muito interessado em oportunidades no Brasil”, diz Victor Lazarte, fundador da Wildlife
seloNegócios

“Estou muito interessado em oportunidades no Brasil”, diz Victor Lazarte, fundador da Wildlife

Há 4 dias

"Eu estou mais otimista do que há um ano", afirma Alex Szapiro, líder do SoftBank na América Latina
seloNegócios

"Eu estou mais otimista do que há um ano", afirma Alex Szapiro, líder do SoftBank na América Latina

Há 4 dias

Startup desenvolve solução feita com resíduos para captar CO2 da mineração
ESG

Startup desenvolve solução feita com resíduos para captar CO2 da mineração

Há 4 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais