Negócios

Elizabeth II não participará da COP26 por recomendação médica

Depois de ter tido uma agenda lotada de atividades no início de outubro, a soberana cancelou na semana passada uma visita à Irlanda do Norte a conselho de seus médicos

A rainha Elizabeth II ocupa o trono real desde 1952, o reinado mais longo de qualquer monarca na história britânica  (AFP/AFP)

A rainha Elizabeth II ocupa o trono real desde 1952, o reinado mais longo de qualquer monarca na história britânica (AFP/AFP)

A

AFP

Publicado em 26 de outubro de 2021 às 15h27.

Última atualização em 5 de novembro de 2021 às 12h54.

A rainha Elizabeth II, de 95 anos, renunciou à participação na conferência climática da ONU COP26 após ser aconselhada a "descansar", anunciou o palácio de Buckingham nesta terça-feira, 26.

"Depois de receber um aviso aconselhando-a a descansar, a rainha realiza tarefas leves no Castelo de Windsor. Sua Majestade lamentou não viajar a Glasgow para participar da recepção da COP26 na segunda-feira, 1º de novembro", anunciou o palácio em um comunicado, menos de uma semana depois que a soberana passou uma noite no hospital. "Sua Majestade está triste por não poder comparecer à recepção, mas se dirigirá aos delegados reunidos por meio de uma mensagem gravada em vídeo", acrescentou.

Depois de ter tido uma agenda lotada de atividades no início de outubro, a soberana cancelou na semana passada uma visita à Irlanda do Norte a conselho de seus médicos, que a pediram para descansar.

Ela passou a noite de quarta-feira no hospital, depois de se submeter a exames "preliminares". O anúncio tardio sobre a hospitalização, a primeira desde 2013, levantou questões e críticas sobre a falta de transparência do palácio de Buckingham.

De volta ao Castelo de Windsor, a oeste de Londres, a rainha retomou suas atividades oficiais na terça-feira, realizando reuniões por vídeo com novos embaixadores no Reino Unido.

Acompanhe tudo sobre:COP26Rainha Elizabeth IIReino Unido

Mais de Negócios

Após venda de empresa, novo bilionário britânico vai compartilhar US$ 650 milhões com funcionários

O que levou a EMS a comprar a startup Vitamine-se

No lugar do call center, IA que cobra dívidas fecha mais de R$ 54 milhões em acordos em três meses

De olho na Agenda 2030, a Cedro Participações avança em seus compromissos ESG

Mais na Exame