Negócios

Para evitar calote, Eike oferece fatia da OGX aos credores

Segundo Folha de S. Paulo, fundos Pimco e BlackRock podem aceitar sociedade com o empresário para abater dívidas


	OGX: sem dinheiro em caixa, companhia busca alternativas para quitar dívidas
 (REUTERS/Ricardo Moraes)

OGX: sem dinheiro em caixa, companhia busca alternativas para quitar dívidas (REUTERS/Ricardo Moraes)

Daniela Barbosa

Daniela Barbosa

Publicado em 28 de abril de 2014 às 07h53.

São Paulo - Com pouco dinheiro em caixa, Eike Batista tem buscado alternativas para não dar calote aos credores da OGX e está oferendo fatias da petroleira para quitar dívidas. As informações são da Folha de S. Paulo, desta quarta-feira.

De acordo com a reportagem, pelo menos dois fundos, o Pimco e o BlackRock, já teriam sinalizado a possivbilidade de sociedade com o empresário. O objetivo é tentar convender os credores estrangeiros a converter 3,6 bilhões de dólares  de dóvida em participação acionaria na OGX.

Nesta semana, a Petronas, petrolífera estatal da Malásia, que comprou 40% de  participação em dois blocos de exploração da OGX, afirmou que para concluir a operação  precisa de mais clareza por parte da companhia brasileira sobre a reestruturação de sua dívida.

O negócio foi fechado em maio por 850 milhões de dólares, mas pode não ir adiante devido a situação atual da petroleira. Shamsul Azhar Abbas, presidente da Petronas, disse  que o negócio está pendente por conta de mais transparência de reestruturação.

“A OGX não cumpriu a condição suspensiva. A reestruturação precisa acontecer primeiro”, afirmou o executivo a jornalistas em uma coletiva sobre os resultados financeiros do segundo trimestre.

Mais de Negócios

Startup do Paraná que ajuda call center a ligar para você compra empresa e mira R$ 100 milhões

Eles voltaram: depois de Floripa e POA, patinetes desembarcam no Rio e irão chegar a São Paulo

O bilionário de 80 anos que ficou US$ 40 bilhões mais rico num ano – e US$ 2,8 bi mais rico em 24h

Como o chef João Diamante está ajudando a mudar o mundo por meio da alimentação

Mais na Exame