Por que é tão relevante empresas diminuírem suas emissões de carbono

Relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas indica que as reduções fortes e sustentadas limitariam as mudanças climáticas
 (Marco Bottigelli/Getty Images)
(Marco Bottigelli/Getty Images)
Por Da RedaçãoPublicado em 18/02/2022 09:00 | Última atualização em 15/02/2022 10:11Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Os cientistas estão observando mudanças no clima em todas as regiões do planeta, de acordo com relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), divulgado recentemente. Muitas das mudanças observadas no clima não têm precedentes.

E não se trata apenas do aumento da temperatura, alerta o IPCC. A mudança climática está trazendo várias alterações em diferentes regiões - que irão se potencializar com o aquecimento da temperatura. Isso inclui mudanças na umidade e seca, nos ventos, neve e gelo, áreas costeiras e oceanos. Alguns exemplos:

  • As mudanças climáticas estão intensificando o ciclo da água. Isso traz chuvas mais intensas e inundações associadas, bem como secas mais intensas em muitas regiões;
  • Também afeta os padrões de precipitação. Em altas latitudes, é provável que a precipitação aumente, enquanto se prevê que diminua em grandes partes das regiões subtropicais. Esperam-se mudanças na precipitação das monções, que variam de acordo com a região;
  • As áreas costeiras verão o aumento contínuo do nível do mar ao longo do século 21, contribuindo para inundações costeiras mais frequentes e severas em áreas baixas e erosão costeira;
  • O aquecimento adicional amplificará o degelo do permafrost e a perda da cobertura de neve sazonal, derretimento das geleiras e perda do gelo do mar Ártico no verão;
  • Mudanças no oceano, incluindo aquecimento, ondas de calor marinhas mais frequentes, acidificação dos oceanos e níveis reduzidos de oxigênio. Essas mudanças afetam os ecossistemas oceânicos e as pessoas que dependem deles.

Mas, se há uma boa notícia nisso tudo, é que as reduções fortes e sustentadas nas emissões de dióxido de carbono (CO2) e outros gases de efeito estufa limitariam essas mudanças climáticas.

Algumas empresas já tomaram consciência de seu papel na necessidade de reduzir suas emissões de CO2. Ainda assim, afirma o IPCC, embora os benefícios para a qualidade do ar possam surgir rapidamente, pode levar de 20 a 30 anos para que as temperaturas globais se estabilizem.

Entre as companhias brasileiras que se comprometeram com a redução das emissões está a JBS, com seu programa Net Zero até 2040, o grupo Boticário, que prevê mapear e solucionar todo resíduo sólido gerado por sua cadeia até 2030, e a Klabin, que teve suas metas de redução de emissões de gases causadores de efeito estufa aprovadas pela SBTi (Science Based Targets).

O compromisso estabelece a redução das emissões por tonelada de celulose, papéis e embalagens em 25% até 2025, e em 49% até 2035, tendo 2019 como ano-base.