Exame logo 55 anos
Remy Sharp
Acompanhe:
seloNegócios

Como a pandemia mudou a estratégia da rede de hamburguerias Johnny Rockets

Para a retomada, Johnny Rockets aposta em cozinhas invisíveis para delivery e para refeições para viagem; cardápio também ficou mais enxuta

Modo escuro

Continua após a publicidade
Hambúrguer da rede Johnny Rockets (Johnny Rockets/Divulgação)

Hambúrguer da rede Johnny Rockets (Johnny Rockets/Divulgação)

K
Karin Salomão

Publicado em 11 de agosto de 2020 às, 06h00.

A pandemia do novo coronavírus obrigou restaurantes de todos os tamanhos e cozinhas a investir no delivery. Agora, com a reabertura das lojas físicas, muitas mudanças vieram para ficar. A rede de hamburguerias Johnny Rockets acelerou o investimento em cozinhas invisíveis para delivery e deixou as lojas mais digitais. 

Se antes da pandemia o delivery era responsável por 17% do faturamento, durante os meses mais intensos da quarentena em que todos os restaurantes fecharam, chegou a representar 40% do faturamento em tempos normais. Hoje, com 25 restaurantes já com operação física, o delivery continua a representar 32% das vendas. As lojas passaram a oferecer formas de pagamento digital sem contato, como o código QR. O cardápio também ficou cerca de 30% menor. 

A retomada das vendas nas lojas físicas e o crescimento do delivery está acontecendo de forma diferente nos distintos bairros em que a rede de fast food atua. Segundo o diretor Alan Torres, em bairros de classes A e B, o delivery continua forte e a retomada nas lojas de rua está mais lenta. Já em bairros de classes C e D, o fluxo nas lojas já retornou a níveis semelhantes aos de antes da quarentena. 

As lojas em bairros de classes C e D também têm tíquete médio maior e costumam pedir também refrigerante, sobremesa e outros acompanhamentos, o que não é hábito nos bairros mais ricos. "O tíquete médio na Oscar Freire é menor que em Pirituba", diz o diretor, citando dois bairros com públicos distintos na cidade de São Paulo. 

Cozinhas para delivery

A empresa irá investir cerca de 15 milhões de reais em cozinhas invisíveis, voltadas para o delivery, também chamadas de dark kitchens. O objetivo é ampliar sua área de atuação sem precisar de grandes investimentos. "As unidades são colocadas de maneira estratégica para não se sobreporem às unidades já existentes", afirma o diretor. Inicialmente, essas unidades serão abertas por franqueados que já operam com a rede. 

As cozinhas para delivery têm de 10 a 15 metros quadrados e o investimento para uma dark kitchen é entre 80.000 reais e 150.000 reais, para contratos médios de dois anos, enquanto uma unidade completa, com drive thru, exige investimento de 1,5 milhão de reais. O cardápio servido também é mais enxuto: conta apenas com os campeões de venda, ou cerca de 30% do número total de itens. 

Já são duas dark kitchens e até o final do ano serão abertas mais quatro. Irá abrir também seis lojas completas até o fim do ano, A empresa tem um app de delivery próprio, o Johnny Go, mas também atua com Uber Eats, iFood, James Delivery, Rappi e 99 Food. 

Algumas dessas unidades também têm uma janela para pedidos para viagem. "Não há mesa ou cadeira, é uma operação bastante descomplicada", diz Torres. O objetivo é conquistar lugares com grande circulação de pessoas, como postos de gasolina ou locais próximos a estações de metrô. 

Últimas Notícias

Ver mais
Ele tinha uma missão: tirar o milkshake do lugar de coadjuvante. Agora, fatura R$ 210 milhões

seloNegócios

Ele tinha uma missão: tirar o milkshake do lugar de coadjuvante. Agora, fatura R$ 210 milhões

Há 15 horas

Justiça dos EUA aceita parte de pedido da Gol, que acusa Latam de tentar tomar aviões e pilotos

seloNegócios

Justiça dos EUA aceita parte de pedido da Gol, que acusa Latam de tentar tomar aviões e pilotos

Há 15 horas

Morre aos 97 anos Luiza Trajano Donato, fundadora do Magazine Luiza

seloNegócios

Morre aos 97 anos Luiza Trajano Donato, fundadora do Magazine Luiza

Há um dia

Stanley inaugurou a sua primeira loja no Sul do país. Qual é o modelo para abrir unidades da marca?

seloNegócios

Stanley inaugurou a sua primeira loja no Sul do país. Qual é o modelo para abrir unidades da marca?

Há 3 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

A regulamentação de cigarros eletrônicos pode trazer mais segurança para o consumidor?

A regulamentação de cigarros eletrônicos pode trazer mais segurança para o consumidor?

Escritórios Verdes, da JBS, regularizam 8 mil fazendas
EXAME Agro

Escritórios Verdes, da JBS, regularizam 8 mil fazendas

“Deixei o mundo corporativo para empreender com a Herbalife”

“Deixei o mundo corporativo para empreender com a Herbalife”

Loja pop-up da Lacoste em Trancoso conecta a marca com o verão brasileiro

Loja pop-up da Lacoste em Trancoso conecta a marca com o verão brasileiro

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais