Negócios

Coca-Cola vai lançar sua 1ª bebida alcoólica no Japão

Com 125 anos de história, a Coca-Cola vai produzir sua primeira bebida alcoólica no Japão. O produto terá entre 3% e 8% de álcool por volume

Coca-Cola: empresa vai fabricar bebida alcoólica (Dylan Martinez/Reuters)

Coca-Cola: empresa vai fabricar bebida alcoólica (Dylan Martinez/Reuters)

Mariana Desidério

Mariana Desidério

Publicado em 7 de março de 2018 às 11h47.

Última atualização em 9 de agosto de 2019 às 16h02.

Com 125 anos de história, a Coca-Cola vai produzir sua primeira bebida alcoólica no Japão.

A bebida conhecida pelos japoneses como "Chu-Hi" - uma abreviatura de "sochu highball" , é feita pela mistura de água com gás, e possui aroma de limão. Nada mais é do que um espumante enlatado.

O produto terá entre 3% e 8% de álcool em volume.

No entanto, não há previsão para a data de lançamento e ainda não se sabe se o produto será comercializado em outros países.

De acordo com Jorge Garduno, presidente da Coca-Cola no Japão, a iniciativa "é um exemplo de como continuamos explorando oportunidades fora de nossas áreas principais".

Vai ser a primeira vez em que a empresa de refrigerantes aposta em uma bebida diferente. Segundo Garduno a invenção "é um experimento pequeno e bem específico para o mercado".

O projeto marca uma nova fase na empresa, que tem lutado contra a queda de vendas em âmbito global, já que consumidores que prezam pela saúde estariam evitando tomar a bebida.Com isso, a Coca-Cola precisou diversificar seus produtos, como a compra de marcas de água e chá.

A ideia de criar uma bebida alcoólica, primeiramente no país japonês, vai de encontro com projetos de outras grandes empresas de bebidas, incluindo Kirin, Suntory e Asahi, que possuem variedades e sempre estão inovando.

Acompanhe tudo sobre:bebidas-alcoolicasCoca-ColaJapão

Mais de Negócios

Imóveis, cheques e itens de luxo são mais usados em crimes financeiros do que criptomoedas

Apple mantém diálogos com concorrente Meta sobre IA

30 franquias baratas para começar a empreender a partir de R$ 9.500

Empreendendo no mercado pet, ele saiu de R$ 50 mil para R$ 1,8 milhão. Agora, aposta em franquias

Mais na Exame