CEO da Blackberry vê patentes como chave para retomada

Blackberry vê seu portfólio de patentes como um dos elementos-chave em sua retomada, enquanto a empresa foca mais em seu negócio corporativo e de software


	BlackBerry: "temos hoje cerca de 44 mil patentes", diz a empresa
 (Mark Blich/Reuters)
BlackBerry: "temos hoje cerca de 44 mil patentes", diz a empresa (Mark Blich/Reuters)
DR

Da Redação

Publicado em 17 de setembro de 2015 às 18h13.

Waterloo - A Blackberry vê seu amplo portfólio de patentes como um dos elementos-chave em sua estratégia de retomada, enquanto a empresa foca mais em seu negócio corporativo e de software, disse o presidente-executivo John Chen nesta quinta-feira.

"Temos hoje cerca de 44 mil patentes. A boa notícia é que temos um dos portfólios de patentes mais jovens em toda a indústria, então a monetarização de nossas patentes é um aspecto importante de nossa reviravolta", disse Chen, falando da cidade natal da companhia, no Waterloo Innovation Summit.

Os resultados do primeiro trimestre fiscal da Blackberry em junho foram beneficiados pela estratégia de monetarizar sua propriedade intelectual, com a receita de softwares e licenças aumentando mais de 150 por cento, para 137 milhões de dólares.

Os ganhos foram amplamente guiados por dois novos acordos de licenciamento, um com a Cisco Systems e outro com um participante anônimo, que fizeram contribuições significativas para sua receita de softwares no trimestre.

Chen disse que o desafio é o equilíbrio entre salvaguardar agressivamente as patentes de alguém via ações judiciais ou monetarizá-las via acordos de licenciamento colaborativos.

Chen ressaltou que a companhia planeja seguir inovando e se manter como líder de mercado em segurança da comunicação, onde a empresa tem grande quantidade de conhecimento. 

Acompanhe tudo sobre:BlackBerryEmpresasSoftware

Mais de Negócios

Grupo J&F anuncia investimento de R$ 25 bilhões e criação 10 mil empregos no Brasil

Desenrola para empresas: veja perguntas e respostas sobre os novos programas para MEIs

Raízen Power mira as pequenas empresas para oferecer economia na conta de luz

Kaszek começa a usar caixa de US$ 1 bilhão e diz estar aberta a negócios

Mais na Exame