Acompanhe:
seloNegócios

Cambridge Analytica recorre à lei de falência nos Estados Unidos

A empresa britânica, acusada de ter usado dados de 90 milhões de usuários do Facebook sem consentimento, anunciou falência no Reino Unido e agora nos EUA

Modo escuro

Continua após a publicidade
A empresa nega ter usado os dados para elaborar um programa que permitiu prever e influenciar votos na eleição dos EUA (Luke MacGregor/Bloomberg)

A empresa nega ter usado os dados para elaborar um programa que permitiu prever e influenciar votos na eleição dos EUA (Luke MacGregor/Bloomberg)

A
AFP

Publicado em 18 de maio de 2018 às, 10h29.

A empresa britânica de consultoria Cambridge Analytica, protagonista do escândalo pelo uso ilegal de dados do Facebook, recorreu ao capítulo 7 da lei de falências nos Estados Unidos, de acordo com documentos apresentados a um tribunal de Nova York.

O grupo, cujo advogado apresentou a declaração na quarta-feira, anunciou no início de maio o fim de suas atividades e o início do processo de falência no Reino Unido, ao mesmo tempo que preparava a declaração de falência nos Estados Unidos.

A Cambridge Analytica foi acusada de ter utilizado dados pessoais de 90 milhões de usuários do Facebook sem o consentimento das pessoas afetadas.

As informações teriam sido utilizadas para elaborar um programa que permitiu prever e influenciar o voto dos eleitores na campanha presidencial dos Estados Unidos de 2016, vencida por Donald Trump.

A empresa britânica negou as acusações, apesar das gravações, feitas com uma câmera escondida, de seu diretor geral, Alexander Nix, que acabou suspenso.

O Facebook insiste que não sabia que os dados obtidos pela empresa de consultoria por meio de um aplicativo de testes psicológicos, desenvolvido por um professor e pesquisador universitário, foram utilizados com fins políticos.

A empresa americana, no entanto, foi arrastada pelo escândalo, acusada de não proteger de modo suficiente seus usuários.

Seu fundador e CEO, Mark Zuckerberg, teve que pedir desculpas em abril pelos "erros" da empresa durante uma audiência no Congresso americano.

Últimas Notícias

Ver mais
China se opõe a qualquer ação que aumente ainda mais a tensão no Oriente Médio, diz porta-voz
Mundo

China se opõe a qualquer ação que aumente ainda mais a tensão no Oriente Médio, diz porta-voz

Há 18 horas

Sanções para inglês ver? EUA continuarão com acesso ao petróleo da Venezuela apesar de novo bloqueio
Mundo

Sanções para inglês ver? EUA continuarão com acesso ao petróleo da Venezuela apesar de novo bloqueio

Há 22 horas

Nos EUA, Biden avalia mais de US$ 1 bi em novos acordos de vendas de armas a Israel
Mundo

Nos EUA, Biden avalia mais de US$ 1 bi em novos acordos de vendas de armas a Israel

Há um dia

Família Kennedy apoia Biden em vez de Robert Kennedy Jr, que tenta ser 3ª via na eleição
Mundo

Família Kennedy apoia Biden em vez de Robert Kennedy Jr, que tenta ser 3ª via na eleição

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais