Negócios

Cade aprova aquisições da Yduqs e Ser Educacional

Dona da Estácio vai adquirir a UniToledo, já Ser Educacional faz operação para aquisição da UniNorte

Yduqs: atual dona da Estácio faz mais uma aquisição (Ricardo Moraes/Reuters)

Yduqs: atual dona da Estácio faz mais uma aquisição (Ricardo Moraes/Reuters)

R

Reuters

Publicado em 24 de outubro de 2019 às 09h13.

A Yduqs e a Ser Educacional divulgaram nesta quinta-feira (24) que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou as aquisições da UniToledo e da UniNorte, respectivamente.

No caso da Yduqs, o comunicado ao mercado diz que o Cade expediu certidão confirmando o trânsito em julgado do prazo recursal de ato de concentração que analisou e aprovou a aquisição, através de sua subsidiária direta Sociedade de Ensino Superior Estácio de Sá Ltda (Seses), da totalidade das quotas da Sociedade de Ensino Superior Toledo Ltda.

"Dessa forma, a transação está aprovada do ponto de vista regulatório, estando o fechamento da transação autorizado para ocorrer conforme a melhor oportunidade e conveniência das partes", disse a Yduqs.

Já a Ser divulgou que a Superintendência Geral do Cade publicou certidão aprovando, sem restrições, a aquisição de 100% do capital social da Sodecam - Sociedade de Desenvolvimento Cultural do Amazonas Ltda, mantenedora do Centro Universitário do Norte (UniNorte), pelo Centro Nacional de Ensino Superior Ltda (Cenesup), subsidiária da Ser Educacional, conforme contrato celebrado em abril.

"A transferência efetiva da participação para a companhia e a liquidação financeira do valor da aquisição ainda estão sujeitas ao cumprimento de determinadas condições precedentes", acrescentou a Ser.

Acompanhe tudo sobre:CadeSer EducacionalYduqs / Estácio

Mais de Negócios

Empreendendo no mercado pet, ele saiu de R$ 50 mil para R$ 1,8 milhão. Agora, aposta em franquias

Ele quer chegar a 100 lojas e faturar R$ 350 milhões com produtos da Disney no Brasil

Shopee ultrapassa Amazon e se torna segundo e-commerce mais acessado do Brasil em maio; veja a lista

Por que a Cimed está disposta a pagar R$ 450 milhões pela Jequiti

Mais na Exame