Acompanhe:
seloNegócios

Dona da Big Ben e Farmais, Brasil Pharma pede falência

Decisão foi tomada porque a companhia foi "severamente afetada por diversos fatores e intercorrências nos últimos meses"

Modo escuro

Continua após a publicidade
Brasil Pharma: conselho de administração aprovou pedido de falência da rede de varejo farmacêutico (Germano Lüders/Exame)

Brasil Pharma: conselho de administração aprovou pedido de falência da rede de varejo farmacêutico (Germano Lüders/Exame)

R
Reuters

Publicado em 6 de junho de 2019 às, 10h17.

Última atualização em 6 de junho de 2019 às, 14h58.

São Paulo — O conselho de administração da Brasil Pharma aprovou na véspera pedido de falência da rede de varejo farmacêutico, que estava em recuperação judicial.

A decisão foi tomada porque a companhia foi "severamente afetada por diversos fatores e intercorrências nos últimos meses, que acabaram por comprometer o prosseguimento da recuperação judicial", homologada em 2018.

Entre esses fatores, a empresa citou baixo valor arrecadado nos leilões de mercadoria e ativos, além da rápida deterioração do valor de mercado dos pontos comerciais e da suspensão do leilão da rede de drogarias Farmais.

"A companhia viu-se em cenário no qual não foi possível obter novos recursos para assegurar o cumprimento das obrigações previstas no plano de recuperação judicial, tampouco vislumbrar perspectivas de continuidade operacional da companhia."

A administração da Brasil Pharma identificou que a rede está "impossibilitada mesmo de manter o pagamento de honorários advocatícios e de acessar seus sistemas de informática e de controle contábil, o que lhe impossibilita gerenciar suas operações e realizar o pagamento integral da folha salarial", afirmou a companhia em fato relevante divulgado nesta quinta-feira.

A companhia disse que já está providenciando a convocação de assembleia geral extraordinária (AGE) para que os acionistas se manifestem sobre o assunto.

O grupo, dono das redes Big Ben, Farmais e Farmácia Sant'ana, foi criado como um veículo para consolidar compras de redes de drogarias regionais, mas teve problemas de integração e passou por disputas entre acionistas, além de ter dívida elevada.

O grupo é atualmente controlado pelo Stigma II LLC, da gestora Lyon Capital, que tem 94,49 por cento das ações ordinárias.

Últimas Notícias

Ver mais
Pedro Herz, fundador da Livraria Cultura, morre aos 83 anos
seloNegócios

Pedro Herz, fundador da Livraria Cultura, morre aos 83 anos

Há 2 semanas

Defendida por Haddad, PL que altera lei das falências tranca pauta na próxima semana
Economia

Defendida por Haddad, PL que altera lei das falências tranca pauta na próxima semana

Há 3 semanas

Pimenta, divórcio e falência: a história do sumiço do molho sriracha
Pop

Pimenta, divórcio e falência: a história do sumiço do molho sriracha

Há 4 semanas

Grupo americano Macy's anuncia o fechamento de 150 lojas
seloNegócios

Grupo americano Macy's anuncia o fechamento de 150 lojas

Há 2 meses

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais