A página inicial está de cara nova Experimentar close button
Conheça o beta do novo site da Exame clicando neste botão.

Disney troca de CEO após 15 anos e Bob Chapek assume o cargo

Na era da expansão do streaming, Bob Chapek assume o cargo de CEO após liderar a divisão de Parques, Experiências e Produtos da Disney

A Walt Disney Co. informou nesta terça-feira (25) que Bob Iger não é mais o CEO da empresa, cargo que ele exerceu durante 15 anos e nos quais a transformou na líder mundial de entretenimento. O conselho de Administração do grupo nomeou Bob Chapek, um executivo veterano com 27 anos de experiência na Disney, para assumir imediatamente a posição mais alta da Disney. Chapek é o sétimo CEO na história de quase 100 anos da empresa.

Bob Iger se tornará o diretor do conselho de administração até o fim de seu contrato, em dezembro de 2021, e "dirigirá os esforços criativos da companhia", segundo comunicado. Nos seus 15 anos como CEO, Iger liderou as maiores aquisições da Disney: a compra da Pixar por 7,4 bilhões de dólares, da Marvel por 4 bilhões de dólares e da Lucasfilm por 4 bilhões de dólares. A maior aquisição da história da dona do Mickey aconteceu em março de 2019, com a compra da Fox de Rupert Murdoch por 71,3 bilhões de dólares. 

Também lançou o serviço de streaming Disney Plus em novembro, que já tem 28,6 milhões de inscritos. De 55 bilhões de dólares em 2015, o valor de mercado da Disney chegou a 231 bilhões de dólares hoje. Iger foi o CEO mais bem pago no mundo de entretenimento, recebendo 65,6 milhões de dólares em 2018 e 47,5 milhões de dólares no último ano fiscal.

Se Iger liderou as aquisições da Marvel, Pixar e Fox, Chapek trabalhou para incorporar os temas e personagens aos parques. Ele criou a área mais imersiva e tecnológica dos parques, a Star Wars: Galaxy's Edge no Disneyland Resort e no Walt Disney World Resort. Também desenvolveu brinquedos e atrações da Marvel em parques em todo o mundo.

Parques e experiências imersivas

Chapek, 60, assinou um contrato de três anos. O executivo não tem experiência na área de criação de conteúdo, mas sim em desenvolvimento de produtos e expansão de parques e experiências.

Antes de entrar na Disney, Chapek trabalhou em gerenciamento de marcas na Heinz e em publicidade na J. Walter Thompson. Ele é formado em microbiologia e possui MBA pela Michigan State University.

"Quando eu era criança em Hammond, Indiana, filho de um veterano da Segunda Guerra Mundial e de mãe trabalhadora, meus pais nos levavam todos os anos para férias em família no Walt Disney World", disse ele durante conferência com investidores na tarde de terça-feira. "Foi aí que desenvolvi um profundo amor pela Disney e tudo o que ela representa. Esse garoto nunca imaginou que um dia teria a chance de liderar essa empresa extraordinária como o sétimo CEO em seus quase 100 anos de história”, disse.

Na Disney, seu cargo anterior era de diretor da divisão de Parques, Experiências e Produtos, que foi criada em 2018. Antes disso, foi diretor de Parques e Resorts desde 2015.

A sua divisão de Parques e Experiências compreendia seis resorts nos Estados Unidos, Europa e Ásia, uma linha de cruzeiro e um programa de viagens. Já a divisão de produtos gerencia o programa de licenciamento de produtos, brinquedos, itens de casa, games e aplicativos, bem como as lojas da Disney pelo mundo e sua plataforma de comércio eletrônico.

Durante seu mandato, a Disney Parks viu o maior investimento e expansão em seus sessenta anos de história, diz a empresa, incluindo a abertura do Xangai Disney Resort. Também dobrou a frota de cruzeiros. 

Atualmente, parte dessas iniciativas é impactada pelo surto do coronavírus. Os parques de Xangai e de Hong Kong estão fechados atualmente por conta da epidemia  e há preocupações de que o lançamento de filmes como Mulan possa ser prejudicado uma vez que os cinemas na China estão fechados.

Sob a direção de Chapek, a Disney deve continuar investindo na experiência dos consumidores. "A abordagem centrada no hóspede de Chapek se concentra em garantir que todos os aspectos da experiência sejam únicos e superem as expectativas dos hóspedes dos parques", diz a empresa.

O grupo pretende aumentar o volume do conteúdo original, aproveitando seu gigantesco portfólio de títulos, que incluem franquias como "Star Wars" e relacionadas aos super-heróis da Marvel. A competição com a Netflix ficará mais acirrada e a empresa do Mickey deve mostrar a relevância de sua história centenária.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também