Negócios

Grupo que inclui Beto Carrero e Playcenter faz proposta pelo Hopi Hari

A proposta inclui a quitação de dívidas e investimentos na melhoria da estrutura, e precisará ser aprovada na assembleia de recuperação judicial do Hopi Hari, em novembro

Hopi Hari: parque fundado em 1999 em Vinhedo vive imbróglio financeiro e administrativo (Hopi Hari/Divulgação)

Hopi Hari: parque fundado em 1999 em Vinhedo vive imbróglio financeiro e administrativo (Hopi Hari/Divulgação)

CR

Carolina Riveira

Publicado em 30 de outubro de 2021 às 14h37.

Última atualização em 1 de novembro de 2021 às 17h33.

Um grupo de empresas do setor turístico oficializou nesta semana uma proposta de compra pelo parque Hopi Hari, em São Paulo.

Fazem parte do consórcio de compradores os parques Beto Carrero World, Playcenter e Wet'n Wild, além de Senpar, RTSC e KR Capital.

Aprenda como investir seu dinheiro para realizar o sonho da casa própria! Comece agora.

Em nota, o grupo afirmou que a aquisição do Hopi Hari será "o começo de um grande investimento turístico" na região.

O projeto inclui a quitação de dívidas e investimentos na melhoria da estrutura. A proposta foi apresentada na última terça-feira, 26, no âmbito do processo de recuperação judicial do Hopi Hari, que corre desde 2016.

A aprovação da compra fica agora a cargo da assembleia de recuperação judicial, que analisa o caso no próximo dia 3 de novembro.

Inaugurado em 1999 e até hoje um dos principais destinos do setor no Brasil, o Hopi Hari fica em Vinhedo, a 81 quilômetros da capital paulista.

O parque vive imbróglios financeiros e administrativos desde a fundação, com mudanças societárias e chegando a fechar por vários meses, até ser reaberto pela última vez em 2017. Durante a pandemia da covid-19, o espaço também passou meses fechado devido às medidas de segurança sanitária.

Ao todo, a proposta do grupo comprador inclui quitação das dívidas (que ultrapassam 250 milhões de reais, segundo as informações oficiais) e "investimentos para a recuperação sustentável" do empreendimento.

O plano de investimentos pode chegar ainda a outros 150 milhões de reais em projetos de melhoria do parque, o que incluirá, segundo os compradores, criação de empregos e receitas fiscais.

Segundo os investidores, o plano conta com apoio dos principais credores, incluindo a empresa de previdência PrevHab e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Em nota, o Beto Carrero disse que aguarda a assembleia e espera que o Hopi Hari seja "administrado por quem realmente entende de turismo, entretenimento e diversão para as milhares de família brasileiras".

Quais são as tendências entre as maiores empresas do Brasil e do mundo? Assine a EXAME por menos de R$ 0,37/dia e descubra.

Acompanhe tudo sobre:Hopi HariParques de diversões

Mais de Negócios

Apple mantém diálogos com concorrente Meta sobre IA

30 franquias baratas para começar a empreender a partir de R$ 9.500

Empreendendo no mercado pet, ele saiu de R$ 50 mil para R$ 1,8 milhão. Agora, aposta em franquias

Ele quer chegar a 100 lojas e faturar R$ 350 milhões com produtos da Disney no Brasil

Mais na Exame