Bernard Ebbers, ex-magnata das telecomunicações, morre aos 78 anos

Bernard Ebbers é conhecido por ter transformado uma pequena empresa na WorldCom em uma gigante do setor das telecomunicações

Bernard Ebbers, ex-magnata americano das telecomunicações preso por uma fraude contábil de 11 bilhões de dólares, morreu no domingo aos 78 anos, informou a imprensa local nesta segunda-feira.

Ebbers, que chegou a ser apelidado de o “cowboy das telecomunicações”, transformou uma pequena empresa na WorldCom, uma gigante do setor, que posicionou o empresário como favorito de Wall Street até que a realidade de seus negócios fosse exposta.

Em 2002, a WorldCom foi à falência. Os acionistas da empresa perderam cerca de 180 bilhões de dólares e 20.000 trabalhadores ficaram desempregados.

A família de Ebbers confirmou sua morte em um comunicado divulgado pela imprensa, no qual disse estar grata por ter cuidado e compartilhado tempo com ele durante seus últimos dias.

Ebbers cumpria uma pena de 25 anos de prisão por sua participação em uma fraude de 11 bilhões de dólares, uma das maiores da história dos Estados Unidos, o que resultou na queda em desgraça de sua empresa. Em dezembro de 2019, recebeu liberdade antecipada por seu estado de saúde.

Nascido em Edmonton, Canadá, em 27 de agosto de 1941, Ebbers cresceu no sul dos Estados Unidos. Era um talentoso jogador de basquete, mas um estudante mediano que deixou a faculdade duas vezes antes de se formar no Mississippi College em 1966.

Quando a justiça ordenou o desmantelamento do monopólio da telefônica AT&T no início dos anos 80, Ebbers começou a comprar o restante do serviço telefônico e revendê-lo a preços muito baixos. Em meados da década seguinte havia se tornado um jogador de peso: adquiriu a WilTel Network Services por US$ 1,2 bilhão e mudou o nome desse grupo para WorldCom.

Em 1999, a empresa atingiu um recorde de US$ 64,50 por ação e a revista Forbes calculou a fortuna de Ebbers em 1,4 bilhões de dólares.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.