Negócios

Aos 15 anos, americano ganha US$ 100 mil no programa Shark Tank por uma ideia que teve na infância

Aos oito anos, americano criou um guarda-chuva com uma segunda alça para que duas pessoas possam segurar ao mesmo tempo

Nathaniel Wellen: "E se houvesse uma segunda alça de guarda-chuva para eu segurar?" (Youtube/Reprodução)

Nathaniel Wellen: "E se houvesse uma segunda alça de guarda-chuva para eu segurar?" (Youtube/Reprodução)

Isabela Rovaroto
Isabela Rovaroto

Repóter de Negócios

Publicado em 6 de abril de 2024 às 15h29.

Última atualização em 10 de abril de 2024 às 14h20.

Nathaniel Wellen, um empreendedor de apenas 15 anos, provou que a idade não é um obstáculo para atrair investidores no programa Shark Tank. Em um episódio recente, o americano apresentou sua invenção aos jurados em busca de novos sócios.

O adolescente é fundador do The Duo, um guarda-chuva que conta com segunda alça suspensa para que duas pessoas possam segurar o item ao mesmo tempo. Depois de uma rápida negociação, o adolescente aceitou uma proposta de US$ 100.000 por 18% da empresa. 

Como o negócio foi criado

A ideia surgiu quando Wallen tinha apenas oito anos. Ele ficou encharcado voltando para casa com o pai num dia de chuva. "Só quem segura o guarda-chuva tem uma boa experiência. Eu então pensei: e se houvesse uma segunda alça de guarda-chuva para eu segurar?", conta o jovem empreendedor.

Em parceria com seu pai, desenvolveu e patenteou o modelo de guarda-chuva. Em 2022, pai e filho se uniram à marca de acessórios climáticos ShedRain, que detém 49% da empresa.

Na apresentação aos investidores do programa, Wellen pediu US$ 100.000, cerca de R$ 500.000, em troca de 10% de sua empresa, que ainda estava em fase pré-receita e possuía apenas protótipos.

Os jurados, enquanto testavam um dos protótipos, reconheceram o potencial do produto e elogiaram a iniciativa empreendedora do adolescente. No entanto, alguns jurados expressaram preocupações como o fato de Wellen ainda ser um estudante do ensino médio e sua capacidade de se dedicar integralmente ao negócio.

Kevin O’Leary, por exemplo, citou a necessidade de poder contatar os CEOs a qualquer momento como uma preocupação em relação à agenda escolar de Wellen.

Após recusas de três tubarões, Robert Herjavec viu potencial no negócio. Ele ofereceu US$ 100 mil por 20% da empresa. Wellen pediu 15%, e após uma breve negociação, concordou com os 18% propostos por Herjavec.

Acompanhe tudo sobre:EmpreendedorismoEstados Unidos (EUA)

Mais de Negócios

A malharia gaúcha que está produzindo 1.000 cobertores por semana — todos para doar

Com novas taxas nos EUA e na mira da União Europeia, montadoras chinesas apostam no Brasil

De funcionária fabril, ela construiu um império de US$ 7,1 bilhões com telas de celular para a Apple

Os motivos que levaram a Polishop a pedir recuperação judicial com dívidas de R$ 352 milhões

Mais na Exame