Negócios

Anglo American Platinum anuncia venda de ativos

A empresa informou que vai vender as operações de mineração nas unidades de Union e Rustenburg


	Anglo American: empresa deixará a sua participação na joint venture Pandora
 (Nadine Hutton/Bloomberg)

Anglo American: empresa deixará a sua participação na joint venture Pandora (Nadine Hutton/Bloomberg)

DR

Da Redação

Publicado em 21 de julho de 2014 às 08h57.

Johannesburgo - A Anglo American Platinum, a maior produtora mundial de platina, informou hoje que planeja vender algumas de suas minas ao mesmo tempo em que anunciou que o lucro no primeiro semestre do ano caiu depois de uma queda de mais de um terço da produção devido a uma greve na África do Sul que durou cinco meses.

"Tanto o tempo de gestão como o tempo de capital são finitos", informou a companhia em um comunicado. "Foi tomada a decisão de desfazer de alguns ativos, que serão melhor aproveitados nas mãos de um novo proprietário."

A Anglo American Platinum informou que vai vender as operações de mineração nas unidades de Union e Rustenburg, na África do Sul, e deixará a sua participação na joint venture Pandora. A mineradora relatou ainda que estuda se retirar das operações da unidade de Bokoni.

A empresa disse ainda que pretende manter as operações de fundição e refino nas unidades de Union e Rustenburg.

A notícia de desinvestimento vem depois de uma greve dos mineradores de platina na África do Sul, que durou cinco meses e foi a mais longa da história do país.

Como resultado dessa paralisação, a Anglo American Platinum, registrou um lucro líquido de 429 milhões de rands (US$ 39 milhões) nos seis primeiros meses do ano, ante 1,22 bilhão de rands no mesmo período de 2013.

Na mesma comparação, a empresa disse que a produção de platina refinada caiu de 1,18 milhão de onças no primeiro semestre de 2013 para 715 mil onças no primeiro semestre de 2014. As vendas de platina refinada recuaram para 1,04 milhão de onças, de 1,074 milhão de onças.

A estimativa é de que a companhia perder US$ 2 bilhões em receitas durante a greve, que também contribuiu para uma contração da economia do país nos primeiros meses do ano. A greve teve início no fim de janeiro e durou até 24 de junho. Fonte: Dow Jones Newswires.

Acompanhe tudo sobre:Anglo AmericanEmpresasEmpresas inglesasFusões e AquisiçõesGreves

Mais de Negócios

Empreendendo no mercado pet, ele saiu de R$ 50 mil para R$ 1,8 milhão. Agora, aposta em franquias

Ele quer chegar a 100 lojas e faturar R$ 350 milhões com produtos da Disney no Brasil

Shopee ultrapassa Amazon e se torna segundo e-commerce mais acessado do Brasil em maio; veja a lista

Por que a Cimed está disposta a pagar R$ 450 milhões pela Jequiti

Mais na Exame