Negócios

Amazon contratará 100 mil funcionários para lidar com alta de pedidos

Os pedidos online para a varejista aumentaram com a pandemia do novo coronavírus

Amazon: a varejista hoje paga 15 dólares a hora para trabalhadores de seus centros de distribuição de produtos nos EUA (Kyodo News/Getty Images)

Amazon: a varejista hoje paga 15 dólares a hora para trabalhadores de seus centros de distribuição de produtos nos EUA (Kyodo News/Getty Images)

R

Reuters

Publicado em 16 de março de 2020 às 18h44.

Última atualização em 16 de março de 2020 às 19h02.

A Amazon.com informou nesta segunda-feira que vai contratar 100 mil funcionários para armazéns e entrega de produtos nos Estados Unidos para lidar com o aumento de pedidos online recebidos pela companhia diante do pânico em torno da pandemia de coronavírus.

A Amazon afirmou que vai investir 350 milhões de dólares para aumentar os pagamentos a estes funcionários nos EUA e Canadá em 2 dólares a hora. Para o Reino Unido, o reajuste será de 2 libras e na União Europeia a empresa vai pagar cerca de 2 euros a mais.

A varejista hoje paga 15 dólares a hora para trabalhadores de seus centros de distribuição de produtos nos EUA.

Acompanhe tudo sobre:AmazonCoronavírus

Mais de Negócios

Méliuz vira sócia de startup mineira para deixar o cliente cada vez mais fiél

Precavida Brasil quer expandir atuação no mercado nacional de precatórios

EXCLUSIVO: Suzano investe US$ 5 milhões em startup canadense que desenvolve hidrogel com eucalipto

Marqueteiro por trás dos copos Stanley retorna à Crocs

Mais na Exame