Negócios

Amazon contratará 100 mil funcionários para lidar com alta de pedidos

Os pedidos online para a varejista aumentaram com a pandemia do novo coronavírus

Amazon: a varejista hoje paga 15 dólares a hora para trabalhadores de seus centros de distribuição de produtos nos EUA (Kyodo News/Getty Images)

Amazon: a varejista hoje paga 15 dólares a hora para trabalhadores de seus centros de distribuição de produtos nos EUA (Kyodo News/Getty Images)

R

Reuters

Publicado em 16 de março de 2020 às 18h44.

Última atualização em 16 de março de 2020 às 19h02.

A Amazon.com informou nesta segunda-feira que vai contratar 100 mil funcionários para armazéns e entrega de produtos nos Estados Unidos para lidar com o aumento de pedidos online recebidos pela companhia diante do pânico em torno da pandemia de coronavírus.

A Amazon afirmou que vai investir 350 milhões de dólares para aumentar os pagamentos a estes funcionários nos EUA e Canadá em 2 dólares a hora. Para o Reino Unido, o reajuste será de 2 libras e na União Europeia a empresa vai pagar cerca de 2 euros a mais.

A varejista hoje paga 15 dólares a hora para trabalhadores de seus centros de distribuição de produtos nos EUA.

Acompanhe tudo sobre:AmazonCoronavírus

Mais de Negócios

Conversa de CEO: Agco e Falconi analisam os caminhos para uma agricultura sustentável

Lee, M.Officer e Zoomp: como estão as marcas de calças jeans que bombavam nos anos 1980 e 1990

Lee, conhecida pelas calças jeans, terá lojas físicas no Brasil

Hospitais reduzem emissões com alimentação 'plant-based'

Mais na Exame