Negócios

AliExpress inicia campanha de subsídios de US$ 1,4 bilhão para impulsionar vendas internacionais

Com um total de mil vagas disponíveis, a campanha oferece às empresas participantes dois modelos de negócios: totalmente gerenciado e semigerenciado

China2Brazil
China2Brazil

Agência

Publicado em 9 de abril de 2024 às 17h55.

Última atualização em 10 de abril de 2024 às 14h24.

Tudo sobreAliExpress
Saiba mais

O AliExpress, a plataforma de comércio eletrônico internacional do Grupo Alibaba Holding, lançou uma campanha estratégica destinada a atrair mais marcas para os mercados globais. Intitulada “10 bilhões de Yuans (US$ 1,4 bilhão) em subsídios”, a iniciativa busca incentivar grandes empresas já envolvidas no comércio eletrônico transfronteiriço, além de comerciantes que operam na plataforma de varejo online Tmall.

Com um total de mil vagas disponíveis, a campanha oferece às empresas participantes dois modelos de negócios: totalmente gerenciado e semigerenciado. No primeiro modelo, o AliExpress cuida de todas as operações, vendas e logística, enquanto no segundo, as empresas têm um papel mais ativo no processo.

Uma das principais vantagens para os participantes é a oportunidade de comercializar seus produtos em várias plataformas de comércio eletrônico sob o guarda-chuva do Grupo Alibaba, incluindo Lazada, Miravia, Daraz e Trendyol. Isso proporciona uma ampla cobertura nos principais mercados globais, abrangendo o Sudeste Asiático, Sul da Ásia, Europa e Oriente Médio.

Algumas marcas de renome, como Huawei, Lenovo, Xiaomi, DJI e Tineco, já aderiram à campanha, enquanto negociações com outros gigantes, como Midea, Hisense e TCL, estão em andamento.

Para garantir uma experiência logística eficiente, a Cainiao, unidade de courier do Alibaba, estará encarregada de fornecer serviços logísticos aos comerciantes participantes. Isso inclui o serviço de entrega global em cinco dias, lançado no ano passado, e colaborações com as autoridades aduaneiras da China para estabelecer “zonas exclusivas” dentro das áreas de zona franca em cidades como Shenzhen e Weihai. Essas zonas facilitarão o reembolso antecipado de impostos de exportação no comércio transfronteiriço.

Com a iniciativa da campanha de subsídios, o AliExpress busca fortalecer ainda mais sua presença nos mercados internacionais e oferecer uma plataforma robusta para marcas que buscam expandir suas operações globalmente.

Tradução: Mei Zhen Li
Fonte: 21st Century Business Herald

Acompanhe tudo sobre:AliExpressChina

Mais de Negócios

A malharia gaúcha que está produzindo 1.000 cobertores por semana — todos para doar

Com novas taxas nos EUA e na mira da União Europeia, montadoras chinesas apostam no Brasil

De funcionária fabril, ela construiu um império de US$ 7,1 bilhões com telas de celular para a Apple

Os motivos que levaram a Polishop a pedir recuperação judicial com dívidas de R$ 352 milhões

Mais na Exame