Negócios

AccorHotels compra grupo de serviços em desafio a Airbnb

A AccorHotels anunciou que entrou em negociações exclusivas para comprar a empresa de serviços hoteleiros John Paul


	Accor: a AccorHotels vai comprar 80 por cento da John Paul por cerca de 150 milhões de dólares em ações e dívida
 (Loic Venance/AFP)

Accor: a AccorHotels vai comprar 80 por cento da John Paul por cerca de 150 milhões de dólares em ações e dívida (Loic Venance/AFP)

DR

Da Redação

Publicado em 27 de julho de 2016 às 16h26.

Paris - A AccorHotels anunciou nesta quarta-feira que entrou em negociações exclusivas para comprar a empresa de serviços hoteleiros John Paul, numa tentativa de reforçar a competição contra a rival online Airbnb.

Sob os termos do acordo, a AccorHotels, quinto maior grupo de hoteis do mundo, vai comprar 80 por cento da John Paul por cerca de 150 milhões de dólares em ações e dívida.

"Com a John Paul, poderemos fornecer serviços para pessoas que nunca estiveram em hoteis da Accor", afirmou o presidente-executivo da rede hoteleira, Sebastien Bazin.

A John Paul oferece serviços de concierge para cerca de 3 milhões de clientes, a maioria dos setores bancário, automotivo, de turismo e luxo.

Bazin tem afirmado há tempos que a receita de redes hoteleiras tradicionais está sob ameaça de companhias como a Airbnb, que oferece opções de acomodação em casas e apartamentos, e de sites de reservas como Expedia.

A resposta dele à chamada economia compartilhada tem sido uma onda de aquisições no setor.

Em fevereiro, a AccorHotels comprou 30 por cento da Oasis Collections, mercado online de aluguel nos EUA, e 49 por cento da Squarebreak, startup francesa que oferece aluguel de luxo na França. Em abril, comprou a britânica onefinestay, especializada em aluguel de moradias de luxo com serviços hoteleiros.

Fundada em Paris em 2007, a John Paul se fundiu com a norte-americana LesConcierges em 2015, criando um grupo com mil empregados e operações na América do Norte, Europa, África, Ásia e Pacífico. A empresa estima receita de 60 milhões de dólares em 2016 e margem de lucro operacional de 15 a 20 por cento.

Acompanhe tudo sobre:AccorAirbnbEmpresasEmpresas francesasHotéisHotelariaTurismo

Mais de Negócios

40 franquias baratas para quem quer deixar de ser funcionário a partir de R$ 2.850

Ele cansou de trabalhar em telecom. Agora, faz mais de R$ 1 mi com franquia de serviços automotivos

“É função dos empresários iniciar um novo RS”, diz CEO da maior produtora de biodiesel do país

Na Prosegur, os candidatos são avaliados pela simpática Rose, a chatbot do grupo

Mais na Exame