Negócios

A pernambucana que vai fazer R$ 24 milhões ajudando brasileiros a morar na Espanha

A família dela incentivava que Renata fizesse concurso público no Brasil, mas a moradora do Recife se apaixonou pela Espanha e de lá não saiu

Renata Barbalho, da Espanha Fácil: “Nosso foco agora é o ecossistema inteiro na Espanha"

Renata Barbalho, da Espanha Fácil: “Nosso foco agora é o ecossistema inteiro na Espanha"

Daniel Giussani
Daniel Giussani

Repórter de Negócios

Publicado em 10 de abril de 2024 às 16h34.

Última atualização em 10 de abril de 2024 às 18h03.

Imagine trocar o ritmo do samba pelo compasso do flamenco, a brisa do litoral brasileiro pela imponente arquitetura de Barcelona ou a vibrante vida de Madri

Morar na Espanha, segundo maior país da Europa ocidental, é o sonho de muita gente que nasceu no Brasil. Atualmente, cerca de 80 mil brasileiros e brasileiras moram legalmente por lá.

Uma delas é a pernambucana Renata Barbalho. Natural do Recife, ela mora em Madri desde 2005. Estudante de ciências contábeis, se mudou para a capital espanhola para fazer um mestrado em Auditoria e Análise Empresarial. O objetivo era se especializar para conquistar uma remuneração melhor como funcionária pública no Brasil. Mas acabou sendo efetivada num estágio na PwC da Espanha, e decidiu ficar por lá. 

Quase 20 anos depois, a história é outra. Renata continua em Madri, mas não trabalha mais como auditora da PwC. Depois de ajudar alguns amigos que também queriam morar na Espanha a conseguirem a documentação, a pernambucana viu ali uma oportunidade de negócio. Criou uma consultoria para ajudar outros brasileiros a migrarem para o país europeu. 

A aposta deu certo. No ano passado, a empreendedora faturou R$ 12 milhões com o negócio, que emprega cerca de 50 pessoas. Mas a meta para este ano é dobrar de tamanho. No radar de Renata, uma mudança na lei espanhola que permite que netos de espanhóis também consigam se nacionalizar no país, e uma facilidade que dá visto permanente para estrangeiros que aportam uma certa quantidade de dinheiro em solo espanhol. 

Qual é a história de Renata

Renata estava terminando seu curso de ciências contábeis no Brasil quando surgiu a oportunidade de fazer um mestrado na Espanha. Ainda faltavam dois anos para ela concluir o curso brasileiro, mas conseguiu na universidade fazer dois anos em um e correu para se aplicar no programa de mestrado espanhol. 

Já na Espanha, passou a trabalhar na PwC como auditora. Nesse meio-tempo, chegou a ser aprovada num concurso público no Brasil, mas decidiu ficar na Europa.

“Minha família me ligava o tempo inteiro para me convencer a aceitar a posição do concurso público, mas não tinha jeito”, diz. “Já tinha decidido que queria ficar na Espanha”. 

Na mesma época, em meados de 2007, amigos de Renata começaram a pedir ajuda para aplicarem seus pedidos de visto na Espanha. “Amigos começaram a me indicar para seus amigos, que começaram a indicar para outros amigos”, diz. “Quando vi, tinha um negócio”. 

Renata então fez um projeto de empresa e o enviou ao governo espanhol, que autorizou a construção do negócio. Nascia assim a Espanha Fácil, que vai completar 16 anos em 2024. 

Quer dicas para decolar o seu negócio? Receba informações exclusivas de empreendedorismo diretamente no seu WhatsApp. Participe já do canal EXAME Empreenda

Qual é a estrutura da Espanha Fácil 

Hoje, a Espanha Fácil tem cerca de 50 funcionários e 150 mil clientes atendidos, com uma taxa de êxito de 97%.

A empresa atende os brasileiros residentes na Espanha ou pessoas que possuem interesse em residir, empreender, estudar ou mesmo viajar. Conta também com serviço de auxiliar na emissão de vistos, cidadania espanhola, permissão de residência, entre outros. 

No último ano, faturou R$ 12 milhões. Mas a meta para 2024 é dobrar de tamanho. A ideia é explorar uma mudança na lei, que ficará em vigor até outubro de 2025, que estende os benefícios de cidadania para netos de espanhóis. Antes, apenas filhos tinham esse direito. O prazo para solicitar cidadania foi estendido recentemente até outubro de 2025.

Além disso, há um benefício que permite que, a depender de um investimento feito na Espanha, haja facilidade para conseguir o visto. Para se beneficiar do Golden Visa espanhol, é preciso fazer pelo menos € 500 mil em investimentos imobiliários ou transferir um capital de € 1 milhão.  

São duas vias de crescimento para Renata.

“Além disso, estamos abrindo serviços complementares”, afirma. “Um deles é uma corretora de seguros para brasileiros que estão na Espanha”. 

E há planos de chegar a novos países? 

“Se a gente vai abrir um Portugal Fácil ou uma Itália Fácil? No momento, ainda não está nos planos”, afirma. “Nosso foco agora é o ecossistema inteiro na Espanha. Visto, nacionalidade, homologação de estudos, jurídico, imobiliário, documentação. Quer vir para a Espanha? Vamos fazer tudo”.

Acompanhe tudo sobre:Espanha

Mais de Negócios

Brazil Summit: encontro em NY reunirá lideranças para debater perspectivas de negócios do país

Planta da JBS em Mato Grosso do Sul será a maior unidade de bovinos da América Latina

Dona da Fiat, Stellantis anuncia venda de veículos elétricos chineses no Brasil em 2024

Mais na Exame