Negócios

5 tendências para e-commerce em 2023: veja como se preparar para bons resultados

O início do ano é um momento muito importante para definir metas e estratégias que auxiliarão no bom desempenho de um negócio. Estar atento às novidades e seguir boas práticas fazem toda a diferença.

Compras online: veja 5 tendências do e-commerce para bons resultados em 2023 (Foto/Thinkstock)

Compras online: veja 5 tendências do e-commerce para bons resultados em 2023 (Foto/Thinkstock)

DR

Da Redação

Publicado em 26 de janeiro de 2023 às 10h02.

O e-commerce conquistou um lugar muito importante para o ecossistema de vendas no Brasil. Com a expansão do acesso à internet, melhora na qualidade da velocidade, novos hábitos adquiridos na pandemia (comprar sem sair de casa), e a inserção da GenZ no mercado de trabalho, fazem com que o faturamento anual apresentado pelo varejo digital atinja novos recordes a cada ano.

A popularização das vendas online é um reflexo de uma sociedade cada vez mais digital e conectada, de uma cultura data driven. Segundo dados da ABComm Forekast (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), em 2021 o recorde batido foi de R$150,82 bilhões, com uma estimativa de faturamento em 2022 de R$169,59 bilhões. Para 2023, a projeção é de um ano ainda melhor, com o crescimento para R$185,7 bilhões.  O ticket médio pode subir para R$470 por compra, enquanto serão 395,1 milhões de pedidos e 87,8 milhões de compradores.

Todos esses números exigem que os varejistas e empreendedores estejam preparados para atender à demanda do mercado. Engana-se aquele que pensar que é a mais alta tecnologia que gera as maiores vendas, pois são as estratégias combinadas a um bom uso de canais que fazem a diferença.

Confira 5 tendências do e-commerce para bons resultados em 2023:

1. Creators  (micro e nano influenciadores)

O Brasil é fortemente dependente das mídias sociais, além de uma das regiões mais engajadas na América Latina. Pelo menos 71% dos brasileiros seguem um criador digital e 58% já compraram algo por uma recomendação do criador de acordo com a pesquisa. Segundo a SBVC (Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo) 87% dos varejistas declararam reconhecer uma melhora no engajamento do consumidor em vendas digitais – aproximadamente 76% ante a 62% em 2021.

Lançada há pouco tempo com a promessa de alavancar ainda mais este mercado, a BrandLovrs é uma plataforma que traz uma solução escalável e eficaz para as marcas gerenciarem parcerias com Creators pequenos, nichados e com audiências altamente engajadas - usualmente esse tipo de Creator é o que mais converte em vendas para as marcas. A gestão de pequenos Creators é complexa e o processo é moroso e completamente manual. O colaborador de uma empresa consegue fazer a gestão de 5, 10 ou 20 Creators, mas e se ele pudesse fazer de forma automatizada a gestão de 1.000, 2.000, 20.000 Creators?Com uma proposta de assinatura mensal, a plataforma possibilita que as empresas transformem seus clientes e influenciadores em canal de mídia, qualquer pessoa hoje pode ser considerada um Creator e gerar uma renda extra compartilhando conteúdo das marcas que amam. Na plataforma, as marcas se conectam com uma grande comunidade de criadores, gerenciam milhares de Creators de maneira simples e automatizada com o objetivo de seus próprios clientes e influenciadores gerar mais vendas e viralização nas redes sociais. Também é possível acompanhar os resultados e retorno de investimento em tempo real. 

Outro benefício que a plataforma traz é na produção de conteúdo em massa feita por sua comunidade, eliminando o alto custo da produção própria de conteúdo. Esse é um caminho já trilhado pelas marcas mais inovadoras do mercado, que estão terceirizando a produção de conteúdo e deixando na mão de seus Creators. Isso possibilita um pool de conteúdos mais autênticos e com maior engajamento, capaz de furar o mar vermelho de conteúdo nas redes sociais e capturar a atenção dos seguidores.

Pensar em estratégias com este forte aliado de venda, principalmente pela conexão genuína com o público, é uma ótima alternativa para diminuir os custos de aquisição de clientes, que não param de crescer por conta da competição de compra de mídia paga

2. Popularização do Marketplace

O ser humano é guiado no seu dia a dia por modelos mentais, ou seja, busca padrões de comportamento, visuais e de fala para interagir com o que está no seu entorno (Ex.: Chegar em um mercado e pegar uma fila, não é preciso pensar muito neste momento, o corpo agirá). Assim é a eficiência da criação de um marketplace para as vendas, pois além de expor os produtos e gerar vendas pela própria plataforma, é uma maneira de passar confiança e respaldo para o consumidor.

O aumento do uso desta plataforma é uma ótima alternativa para o empreendedor digital realizar um menor investimento inicial, diversificar suas campanhas e criar novas oportunidades de venda.

3. Estratégia omnichannel - Do portal de vendas ao Chat Online

A consultoria McKinsey apontou que as discussões e transformações da omnicanalidade - uma estratégia que visa integrar todos os canais de comunicação de uma empresa - deve continuar até meados de 2030. Este período se deve pela curva de adaptação das lojas às necessidades de seus clientes, além do surgimento de novos canais e formas de interação.

Para além dos canais de vendas e anúncios, é importante manter um bom canal de relacionamento, como o chat online ou o próprio WhatsApp, pois é uma maneira de tirar dúvidas do consumidor, fidelizar a relação e resolver possíveis problemas de maneira assertiva para uma boa saudabilidade de imagem de marca.

4. Serviços de assinatura, uma oportunidade de recorrência

Pelo lado da personalização da experiência, este tipo de serviço vem se popularizando e ganhando o gosto dos consumidores. Em resumo, o comprador paga um valor mensal à empresa para receber algum produto de maneira recorrente na sua casa a cada determinado período, sendo uma possibilidade a assinatura de produtos pré-determinados, e a outra possibilidade a assinatura de boxes contendo produtos diferenciados a cada entrega, o que conquista o público pelo imaginário e ansiedade da surpresa.

Este é um ótimo tipo de estratégia para gerar recorrência de faturamento, possibilitando visibilidade de receita para auxiliar em tomadas de decisões no negócio.

5. Voice Commerce ganhando espaço

Os usuários buscam cada vez mais maneiras de agilizar o seu processo de comunicação pelos meios digitais. Olhando para o futuro, as assistentes de voz como Siri, Alexa, Assistente do Google, entre outros, serão fortes aliadas das vendas, com possibilidades de atuação que ainda estão sendo descobertas, já que a voz permite uma troca mais dinâmica, até mesmo multitarefa. Um convite para empresas surfarem na onda e se destacarem dos seus concorrentes.

Sem precisar complicar muito para já integrar esta estratégia em 2023, algumas práticas de SEO para e-commerce são essenciais, pois em uma possível busca de voz por um determinado produto, os títulos e descrições do e-commerce precisam corresponder à maneira que uma pessoa perguntaria por ele.

6. (Bônus) Inteligência Artificial

A inteligência Artificial já está revolucionando a vida dos e-commerces, principalmente dos que estão nascendo agora.. Existem inúmeras soluções que estão disruptando a forma de conduzir tais negócios. De criação de sites, a produção de conteúdo, SEO, apresentações comerciais, automações de processos e teste em escala de mídia paga, as empresas estão começando a enxergar como a A.I. poderá gerar escala na condução de uma empresa e reduzir drasticamente os custos de operação. 

Acompanhe tudo sobre:e-commerceVendas

Mais de Negócios

10 franquias baratas de limpeza para empreender a partir de R$ 27 mil

A malharia gaúcha que está produzindo 1.000 cobertores por semana — todos para doar

Com novas taxas nos EUA e na mira da União Europeia, montadoras chinesas apostam no Brasil

De funcionária fabril, ela construiu um império de US$ 7,1 bilhões com telas de celular para a Apple

Mais na Exame