Mundo

União Europeia anuncia começo da vacinação para 27 de dezembro

Os chefes da União Europeia têm dito que é necessário buscar uma vacinação conjunta no bloco, ainda que países tenham capacidade para vacinar individualmente

Fábrica de vacinas em Lyon: corrida global pela vacina do coronavírus pode deixar países pobres para trás (AFP/AFP)

Fábrica de vacinas em Lyon: corrida global pela vacina do coronavírus pode deixar países pobres para trás (AFP/AFP)

CR

Carolina Riveira

Publicado em 17 de dezembro de 2020 às 08h57.

Última atualização em 17 de dezembro de 2020 às 09h07.

A União Europeia vai começar a vacinar sua população dias depois do Natal. É o que afirmou nesta quinta-feira, 17, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

Em seu perfil no Twitter, a mandatária escreveu que a vacinação começa nos dias 27, 28 e 29 de dezembro nos países da União Europeia. "É o momento da Europa", disse. "Nós protegemos nossos cidadãos juntos."

A European Medicines Agency (EMA), regulador europeu, deve aprovar nos próximos dias a vacina da americana Pfizer em parceria com a alemã BioNTech, por ora a única com aprovação de agências globais. A expectativa é que uma decisão seja tomada na próxima segunda-feira, em 21 de dezembro.

Na prática, os países já poderiam ter começado a vacinação antes, porém aguardavam aprovação da EMA e uma definição conjunta do bloco. Os chefes da União Europeia têm defendido que é necessário buscar uma vacinação integrada entre os 27 países do bloco, ainda que governos tenham capacidade técnica e financeira para, individualmente, definir suas próprias regras e datas.

Além dos Estados Unidos, que já começaram a vacinação, os imunizantes da Pfizer estão sendo produzidos em uma fábrica na Alemanha, o que os europeus esperam que facilite a logística de distribuição.

 

O Reino Unido, que não faz mais parte da União Europeia em meio ao processo do Brexit, foi o primeiro país a aprovar a vacina da Pfizer, há duas semanas, mesmo antes da aprovação da EMA.

A vacinação britânica começou na última segunda-feira e o país afirmou que, em sete dias, vacinou 140.000 pessoas. A expectativa é aumentar a velocidade de vacinação nas próximas semanas.

A aprovação no Reino Unido colocou pressão sobre os reguladores europeus para aprovar rapidamente a vacina e confirmar datas de distribuição.

Como as fronteiras da União Europeia são abertas entre os países, uma vacinação somente em alguns lugares e não em outros levaria a uma redefinição do sistema de integração europeia que vigora desde o fim da Segunda Guerra Mundial -- e com fronteiras integradas desde a década de 90. Neste ano, em meio à pandemia, as fronteiras ficaram fechadas por alguns meses mesmo entre países da região, com fechamento de fluxo livre entre os países pela primeira vez desde que vigoram as regras de cidadania da UE.

Acompanhe tudo sobre:CoronavírusUnião Europeiavacina contra coronavírus

Mais de Mundo

'Todo mundo com Edmundo!': oposição esquenta campanha presidencial na Venezuela

Biden e Trump trocam ataques em atos de campanha

Muro 'anti-Haiti' vira bandeira eleitoral na República Dominicana

Grécia vai construir a maior 'cidade inteligente' da Europa, com casas de luxo e IA no controle

Mais na Exame