Mundo

Trump consegue 'congelar' processo por interferência nas eleições de 2020 na Geórgia

Com a suspensão do julgamento, sentença não deve acontecer antes do pleito deste ano

 ( Gotham/GC Images/Getty Images)

( Gotham/GC Images/Getty Images)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 6 de junho de 2024 às 07h30.

O Tribunal de Apelações da Geórgia suspendeu nesta quarta-feira, 5, todos os procedimentos relacionados ao caso de interferência eleitoral contra o ex-presidente dos EUA, Donald Trump, e os outros corréus, neste estado do sul do país, enquanto aguarda o resultado de um recurso interposto pelo magnata.
Trump, de 77 anos, é acusado de participar de uma conspiração criminosa para anular o resultado das eleições de 2020 na Geórgia, onde o democrata Joe Biden venceu por cerca de 12 mil votos.
Em março, o juiz encarregado do processo rejeitou uma tentativa de Trump e de vários outros réus de desqualificar a promotora distrital que apresentou as acusações, após revelações de que ela mantinha um relacionamento romântico com o advogado que contratou para acompanhar o caso.
Trump e os demais réus recorreram da decisão do juiz Scott McAfee, e o Tribunal de Apelações da Geórgia anunciou que vai começar a ouvir as alegações orais somente em 4 de outubro, ordenando nesta quarta-feira a suspensão de todos os procedimentos relacionados ao caso.
Com a suspensão, é muito improvável que o julgamento seja concluído antes das eleições presidenciais de novembro, nas quais Trump deverá enfrentar Biden novamente. 
As provas do caso incluem uma gravação telefônica em que Trump pede a um alto funcionário eleitoral da Geórgia que “encontre” votos suficientes para anular o resultado. 
Na semana passada, Trump foi condenado em um outro processo criminal, desta vez em Nova York, por falsificar documentos contábeis com o objetivo de esconder o pagamento de dinheiro a uma ex-atriz pornô que alega que os dois tiveram uma relação sexual em 2006.
Trump e mais 18 réus respondem por chantagem e outras acusações na Geórgia, incluindo seu ex-advogado pessoal Rudy Giuliani e o ex-chefe de gabinete da Casa Branca, Mark Meadows.
Quatro dos corréus originais, incluindo três ex-advogados de campanha de Trump, declararam-se culpados por acusações menores, em acordos que os pouparam de penas de prisão.
Trump também enfrenta acusações federais por conspirar para anular os resultados das eleições de 2020 e por supostamente manter documentos confidenciais em sua casa na Flórida e se recusar a devolvê-los.
Nenhum desses casos deverá ser processado antes das eleições.
Acompanhe tudo sobre:Donald TrumpJoe BidenEleiçõesEleições EUA 2024Política

Mais de Mundo

Putin diz que Coreia do Norte 'apoia firmemente' sua operação na Ucrânia

Joe Biden simplifica regularização de ao menos 500 mil migrantes

Quem é Jordan Bardella, o líder da extrema-direita que desafia Macron?

Corrida nuclear: EUA concentram 80% dos gastos, e China tem arsenal 'pronto para uso' pela 1ª vez

Mais na Exame