Acompanhe:

Trem vai ligar Coreias e aumentar relações com a Rússia

Coreia do Norte e Coreia do Sul irão unir forças para uma modernização ferroviária, projeto que pode reduzir as distâncias na Ásia

Modo escuro

Continua após a publicidade
Kim e Moon: modernização de linhas de trem será discutida entre Coreias, nesta quinta-feira / Korea Summit Press Pool/Pool via Reuters (Korea Summit Press Pool/Reuters)

Kim e Moon: modernização de linhas de trem será discutida entre Coreias, nesta quinta-feira / Korea Summit Press Pool/Pool via Reuters (Korea Summit Press Pool/Reuters)

E
EXAME Hoje

Publicado em 28 de junho de 2018 às, 06h06.

Última atualização em 28 de junho de 2018 às, 07h12.

Os governos da Coreia do Norte e da Coreia do Sul se reúnem nesta quinta-feira para discutir um projeto de modernização ferroviária, e consolidar a retomada das negociações entre os países.

O projeto já foi discutido pelos governos na terça-feira (26), e agora serão debatidos os planos de logística para a reconexão das linhas de trens que ligam os países. Inauguradas em 2007, duas linhas já faziam o trajeto entre as Coreias: a linha Gyeongui, que percorre 27,3 quilômetros entre a estação de Munsan, na Coréia do Sul, e a de Kaesong, na Coréia do Norte; e a linha Donghae, paralela à costa leste da península, traça os 25,5 quilômetros entre a estação norte-coreana de Kumgangsan e a sul-coreana de Jejin. Estas eram as únicas linhas que ligavam os países, após a guerra da Coreia, na década de 50.

Segundo o governo sul-coreano, a modernização da malha ferroviária vai facilitar as trocas comerciais, e impulsionar o turismo na região. Para especialistas, o projeto custará cerca de 35 bilhões de dólares, e demorará algumas décadas para ficar pronto.

A decisão de modernizá-las ocorre pouco depois do encontro entre os líderes sul-coreano, Moon Jae-in, e o norte-coreano, Kim Jong-un, que assinaram um acordo de paz na região. Além do histórico encontro das Coreias, Kim também participou de uma reunião com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, no mês passado, e avançou ainda mais no processo de paz em seu país, e no fim de algumas sanções diplomáticas e econômicas. O encontro foi focado principalmente no processo de desnuclearização da península norte-coreana, tema de interesse mundial, uma vez que a Coreia do Norte passou o ano de 2017 trocando ameaças bélicas com o governo americano.

Com a modernização das linhas de trem, o processo de paz na região começa a dar seus primeiros passos mais concretos.

Não serão somente os coreanos os beneficiados pelo plano. O governo da Rússia já se manifestou publicamente em apoio ao projeto. Em abril, o presidente sul-coreano se encontrou com os líderes russos, Vladimir Putin e Dmitry Medvedv, para conversar sobre um projeto ainda maior: uma linha de trem que ligasse a Coreia do Sul com a Transiberiana.

O projeto beneficiaria em muito a Rússia, que teria mais facilidade para ampliar seus investimentos energéticos, e se aproximar ainda mais da China e da Coreia do Sul. O governo russo já tem um acordo de cooperação energética com o país sul-coreano, no valor de 30 bilhões de dólares, até 2020. A ideia é aumentar o tempo e os valores dos futuros acordos entre os países.

Com o fim do isolamento norte-coreano, as distâncias na Ásia, tanto as econômicas quanto as geográficas, caem consideravelmente.

Últimas Notícias

Ver mais
Bolsas da Ásia fecham majoritariamente em baixa, com tombo de Hong Kong após exportações chinesas
seloMercados

Bolsas da Ásia fecham majoritariamente em baixa, com tombo de Hong Kong após exportações chinesas

Há 6 horas

EUA restringe viagens de diplomatas em Israel em meio a temor de ataque do Irã
Mundo

EUA restringe viagens de diplomatas em Israel em meio a temor de ataque do Irã

Há 16 horas

Israel promete se defender de eventual resposta do Irã a ataque em consulado na Síria
Mundo

Israel promete se defender de eventual resposta do Irã a ataque em consulado na Síria

Há 16 horas

Putin critica conferência sobre Ucrânia e diz que não aceitará plano de paz forçado
Mundo

Putin critica conferência sobre Ucrânia e diz que não aceitará plano de paz forçado

Há 17 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais