Mundo

Reunião de Milei com governador de SC, e não com Lula, é prioritária para a Argentina, diz porta-voz

Presidente argentino estará no Brasil neste domingo para conferência de políticos conservadores que terá a presença de Jair Bolsonaro

Javier Milei, presidente da Argentina (Juan MABROMATA/AFP)

Javier Milei, presidente da Argentina (Juan MABROMATA/AFP)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 5 de julho de 2024 às 16h43.

Última atualização em 5 de julho de 2024 às 17h29.

Tudo sobreArgentina
Saiba mais

O porta-voz do governo da Argentina, Manuel Adorni, classificou as reuniões do presidente Javier Milei com o governador de Santa Catarina, Jorginho Melo (PL), e com empresários do estado como "prioritárias" em relação a um encontro bilateral com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A declaração de Adorni foi dada durante uma conferência de imprensa realizada nesta sexta-feira na Casa Rosada. O porta-voz foi questionado por qual motivo a primeira visita de Milei ao Brasil não seria um encontro bilateral com Lula.

"Em princípio, porque o presidente vai ter como prioridade outras reuniões, como a que se encontrará com o governador de Santa Catarina e outra com empresários, o que é relevante para nós em virtude do desenvolvimento econômico do estado de Santa Catarina."

Milei vai participar da Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC), em Balneário Camboriú, em Santa Catarina, neste domingo. O evento prevê palestras de políticos de direita e extrema direita, como o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

A agenda no Brasil não prevê um encontro com o presidente Lula. Não há confirmação de que ele se econtrará com o ex-presidente Bolsonaro.

Acompanhe tudo sobre:Javier MileiArgentina

Mais de Mundo

Grupo armado sequestra 13 pessoas perto da fronteira da Colômbia com a Venezuela

Diretor do FBI diz que autor do atentado contra Trump operou drone na área do comício

Disneylândia evita greve ao chegar a acordo provisório com sindicatos

Incêndio no Aeroporto JFK deixa ao menos 9 feridos, e quase mil pessoas são evacuadas, em Nova York

Mais na Exame