Mundo

Reino Unido: Starmer nomeia equipe formada durante anos de oposição para os principais ministérios

David Lammy ficará encarregado das Relações Exteriores, John Healey chefiará a Defesa, Yvette Cooper assumirá o cargo de ministra do Interior

Keir Starmer, primeiro-ministro do Reino Unido (HENRY NICHOLLS/AFP)

Keir Starmer, primeiro-ministro do Reino Unido (HENRY NICHOLLS/AFP)

EFE
EFE

Agência de Notícias

Publicado em 5 de julho de 2024 às 15h14.

Última atualização em 5 de julho de 2024 às 15h56.

Tudo sobreReino Unido
Saiba mais

O primeiro-ministro do Reino Unido, Keir Starmer, será rodeado pelos pesos-pesados de sua equipe enquanto estava na oposição, agora como os principais ministros do governo trabalhista, com Angela Rayner como "número 2" e Rachel Reeves como ministra da Economia.

Enquanto isso, David Lammy ficará encarregado das Relações Exteriores, John Healey chefiará a Defesa, Yvette Cooper assumirá o cargo de ministra do Interior e o coordenador de campanha do Partido Trabalhista, Pat McFadden, chefiará o Gabinete do Governo como chanceler do Ducado de Lancaster.

Com grande rapidez após chegar a Downing Street, Starmer convocou a equipe que havia formado durante seus anos na oposição para ocupar as várias pastas e começar a trabalhar desde o primeiro dia, como prometeu durante a campanha eleitoral.

A influente Rayner, da ala esquerdista do Partido Trabalhista, já era a vice de Starmer na oposição, em um cargo para o qual foi escolhida pelos membros do partido e não diretamente por seu líder.

Também era amplamente aguardada a nomeação de Reeves, uma economista ortodoxa e rigorosa no âmbito fiscal que trabalhou no Banco da Inglaterra.

Reeves admitiu nesta sexta-feira, após assumir a Economia, que sua missão será alcançar o crescimento econômico e reconheceu as dificuldades econômicas que o país enfrenta.

Lammy, membro do Parlamento desde 2000 e, desde 2021, porta-voz das Relações Exteriores da oposição, assume a responsabilidade pela política externa do país com desafios pela frente, como a guerra na Ucrânia e o conflito no Oriente Médio.

Crítico do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, Lammy tem a missão de resolver algumas das questões pendentes do governo conservador anterior, como a conclusão do acordo sobre o lugar de Gibraltar na União Europeia (UE) após o Brexit.

Outros pesos-pesados do novo governo — Cooper e Healey — chegam aos seus respectivos ministérios com questões delicadas, como novas medidas para combater a imigração ilegal, no caso de Cooper, e o relacionamento do Reino Unido com a Otan, no caso de Healey.

Enquanto isso, McFadden emerge como um importante coordenador do Gabinete, onde ele terá de lubrificar as engrenagens do governo da mesma forma que fez durante a campanha.

Starmer assumiu o novo governo trabalhista nesta sexta-feira, após a vitória esmagadora de seu partido nas eleições de quinta-feira, que pôs fim a 14 anos de governos conservadores.

Acompanhe tudo sobre:Reino Unido

Mais de Mundo

Convenção Republicana: da Ilha da Fantasia direto para a Casa Branca

Delta e American Airlines retomam voos após apagão online global

OMS confirma detecção do vírus da poliomielite no sul e no centro de Gaza

Europa está em alerta vermelho por intensa onda de calor com incêndios e invasões de gafanhotos

Mais na Exame