Mundo

Netanyahu reconhece 'erro trágico' em ataque que deixou pelo menos 45 mortos em Rafah

De acordo com o Ministério da Saúde de Gaza, cerca de metade dos mortos eram mulheres, crianças e idosos

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel (Jacquelyn Martin/Getty Images)

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel (Jacquelyn Martin/Getty Images)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 27 de maio de 2024 às 15h10.

Tudo sobreConflito árabe-israelense
Saiba mais

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, reconheceu como um "erro trágico" o ataque que matou pelo menos 45 pessoas em Rafah, no Sul da Faixa de Gaza.

Em discurso no parlamento israelense, Netanyahu disse, "apesar dos nossos maiores esforços para não prejudicar civis inocentes, ontem à noite houve um erro trágico. Estamos investigando o incidente e obteremos uma conclusão porque esta é a nossa política".

O Ministério da Saúde de Gaza disse que cerca de metade dos mortos eram mulheres, crianças e idosos. Na segunda-feira, crianças descalças reviraram os escombros enegrecidos enquanto as buscas continuavam.

Acompanhe tudo sobre:Conflito árabe-israelenseIsraelHamasBenjamin Netanyahu

Mais de Mundo

Júri começa a deliberar no julgamento de filho de Joe Biden

Hungria: partido de Orbán mantém maioria na UE, mas vê ascenção de grupo rival

Conselho de Segurança aprova resolução para cessar-fogo em Gaza apoiada pelos EUA

Lula e Putin conversam sobre Ucrânia por telefone

Mais na Exame