Brasil

"Efeito devastador sobre civis", diz governo brasileiro sobre ataque de Israel em Rafah

Itamaraty divulgou uma nota oficial sobre ação em campo de refugiados no último domingo

Publicado em 28 de maio de 2024 às 08h39.

O governo brasileiro fez um pronunciamento oficial a respeito do ataque de Israel a um campo de refugiados em Rafah, na Faixa de Gaza, que, segundo as autoridades de Gaza, teria causado a morte de 45 civis e que a ação causou "consternação" e "perplexidade" nas autoridades brasileiras. Em nota divulgada na noite de segunda-feira, 27, o Itamaraty "condenou a contínua ação das forças armadas israelenses contra áreas de concentração da população civil de Gaza".

O texto também destacou o "efeito devastador sobre civis" de qualquer ação militar israelense em Rafah e lembrou dos diversos pedidos internacionais para que o país acate aos "apelos unânimes" da comunidade internacional e interrompa os os ataques na região.

O Ministério das Relações Exteriores classificou o contexto na região como uma sistemática violação aos Direitos Humanos e ao Direito Humanitário Internacional, assim como flagrante desrespeito às medidas provisórias reafirmadas, há poucos dias, pela Corte Internacional de Justiça.

Na segunda-feira, o primeiro ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, afirmou que o ataque foi  um “incidente trágico”, que está sendo investigado.

"Em Rafah, retiramos um milhão de habitantes que não estavam envolvidos e, apesar de todos os nossos esforços, ontem [domingo] ocorreu um incidente trágico. Estamos investigando o que aconteceu e vamos tirar conclusões", disse ele.

Veja a nota na íntegra do governo brasileiro

"O governo brasileiro tomou conhecimento, com profunda consternação e perplexidade, das notícias sobre ataques conduzidos por Israel, um dos quais contra campo de refugiados nas imediações da cidade de Rafah, no extremo sul da Faixa de Gaza. O ataque ao campo causou a morte de dezenas de civis, além de inúmeros outros feridos, em decorrência de incêndio que se alastrou pelas tendas que abrigavam famílias de refugiados.

Essa nova tragédia demonstra o efeito devastador sobre civis de qualquer ação militar israelense em Rafah, conforme manifestações e apelos unânimes da comunidade internacional, e diante dos deslocamentos forçados por Israel, que concentraram centenas de milhares de refugiados, em condições de absoluta precariedade, naquela localidade.

O governo brasileiro condena a contínua ação das forças armadas israelenses contra áreas de concentração da população civil de Gaza, visto que constitui sistemática violação aos Direitos Humanos e ao Direito Humanitário Internacional, assim como flagrante desrespeito às medidas provisórias reafirmadas, há poucos dias, pela Corte Internacional de Justiça.

O governo brasileiro deplora também a retomada, pelo Hamas, de lançamentos de foguetes de Gaza contra o território israelense, ocorrida no final de semana.

Ao expressar sua solidariedade ao povo palestino, sobretudo aos familiares das vítimas de Rafah, o Brasil reafirma a condenação a toda e qualquer ação militar contra alvos civis.

O governo brasileiro exorta a comunidade internacional a que exerça máxima pressão diplomática a fim de alcançar o imediato cessar-fogo, a libertação dos reféns e o urgente provimento da assistência humanitária adequada à população de Gaza."

Acompanhe tudo sobre:IsraelPalestinaFaixa de GazaItamaratyMinistério das Relações Exteriores

Mais de Brasil

Prefeitura de SP fixa regras de embarque para carros de aplicativo em Congonhas

Chuvas no RS: 42 dias após início da tragédia, sobe para 175 o número de mortos

Datena lançará pré-candidatura a prefeito com presença de lideranças do PSDB

Mais na Exame