Mundo

Na China, fabricantes de veículos elétricos veem vendas crescerem em abril

Resultados oferecem um sinal de recuperação da demanda em meio às contínuas guerras de preços

Xiaomi: especializada em smartphones, empresa relatou 7.058 entregas em seu primeiro mês de venda de veículos elétricos (ADE GAO/AFP/Getty Images)

Xiaomi: especializada em smartphones, empresa relatou 7.058 entregas em seu primeiro mês de venda de veículos elétricos (ADE GAO/AFP/Getty Images)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 1 de maio de 2024 às 17h41.

A BYD e uma série de outras fabricantes chinesas de veículos elétricos registraram vendas e entregas mais altas em abril. Os resultados oferecem um sinal de recuperação da demanda em meio às contínuas guerras de preços e aos esforços do governo para estimular o consumo no maior mercado de veículos elétricos do mundo.

A BYD, apoiada por Warren Buffett, a maior fabricante de veículos elétricos do mundo, disse nesta quarta-feira que suas vendas totais aumentaram 49% em relação ao ano anterior, para 313.245 veículos no mês. Esse número foi 3,6% superior às vendas de março e marcou o segundo mês consecutivo de vendas de mais de 300.000 unidades da empresa.

A NIO, sediada em Xangai, disse que as entregas de seus carros elétricos mais do que dobraram em relação ao ano anterior, para 15.620 veículos, sua maior taxa de crescimento desde outubro de 2022. Essa leitura, ajudada pelo lançamento de novos modelos durante o mês, marcou um aumento em relação às 11.866 entregas em março.

Enquanto isso, as entregas de veículos elétricos da XPeng, sediada em Guangzhou, aumentaram 33% em relação ao ano anterior e cerca de 4% em relação ao mês anterior, para 9.393 veículos.

A Xiaomi, chinesa especializada em smartphones, relatou 7.058 entregas em seu primeiro mês de venda de veículos elétricos, enquanto as entregas da marca Zeekr EV da Geely quase dobraram em relação ao ano anterior, para 16.089 veículos.

A Li Auto, especialista em veículos híbridos, ficou para trás no mês, com um aumento de 0,4% nas entregas em relação ao ano anterior - e uma queda de 11% em relação a março - para 25.787 veículos. O crescimento ano a ano foi sua expansão mensal mais lenta desde agosto de 2022.

*Com informações da Dow Jones Newswires

Acompanhe tudo sobre:Carros elétricosChina

Mais de Mundo

Às vésperas do G7, EUA anuncia mais sanções contra Rússia pela guerra na Ucrânia

Gorjetas no exterior: dicas para viajar sem estresse

Milei retira Aerolíneas e Correios de lista de privatizações para tentar aprovar Lei de Bases

Hezbollah ataca Israel com mais de 100 foguetes após assassinato de comandante

Mais na Exame