Ministro sul-coreano cancela ida ao Japão devido a santuário

Político cancelou uma viagem após o primeiro-ministro Shinzo Abe ter feito uma oferenda a santuário visto como um símbolo do antigo militarismo japonês

Seul - O ministro das Relações Exteriores da Coreia do Sul cancelou uma viagem ao Japão, nesta segunda-feira, após o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, ter feito uma oferenda a um santuário visto como um símbolo do antigo militarismo do Japão, disse um funcionário do governo sul-coreano.

A China também manifestou oposição à oferenda de Abe ao santuário de Yasukuni, onde 14 líderes japoneses condenados como criminosos de guerra são homenageados, dizendo que o Japão ainda deve redimir-se das agressões nacionalistas feitas no passado.

Abe, um nacionalista declarado, fez o ritual de oferecer um pinheiro ao santuário. Ele não esteve no local, mas dois ministros japoneses e um secretário de gabinete foram visitaram o santuário no fim de semana.

Tais gestos contrariaram as vítimas das agressões sofridas nos tempos de guerra do Japão, entre elas a China e a Coreia do Sul.

"Estamos desapontados", disse um funcionário do governo sul-coreano.

"Através de um canal diplomático, enviamos várias vezes a mensagem de que não queríamos nenhuma visita ao santuário antes da viagem de nosso ministro", disse o funcionário, que não quis ser identificado.

O chanceler sul-coreano, Yun Byung-se, tinha o objetivo de discutir os rumos das relações com o seu homólogo japonês durante a visita prevista, disse o funcionário.

"Agora, é quase impossível ter uma conversa construtiva", disse o oficial, referindo-se à decisão de cancelar a viagem.

Para os coreanos, o santuário é um lembrete do brutal regime colonial do Japão, entre 1910 e 1945.

A China, que também sofreu sob a ocupação japonesa, também se ofende quando os líderes japoneses prestam homenagens ao santuário.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.