Live icon 

Acompanhe ao vivo:  

Apuração das eleições 2022 em tempo real! Veja agora.

G7 exige que Rússia devolva controle de usina nuclear à Ucrânia

O texto afirma que é o controle contínuo da usina pela Rússia que põe em perigo a região
Usina nuclear: G7 exige que Rússia devolva controle de usina nuclear à Ucrânia (Benoit Tessier/Reuters)
Usina nuclear: G7 exige que Rússia devolva controle de usina nuclear à Ucrânia (Benoit Tessier/Reuters)
E
Estadão ConteúdoPublicado em 10/08/2022 às 12:45.

Os países membros do G7 apoiam os esforços da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA, na sigla em inglês) para promover a segurança e proteção na usina de Zaporizhzhya, na Ucrânia, segundo comunicado divulgado nesta quarta-feira, 10.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

"Exigimos que a Rússia devolva imediatamente o controle total ao seu legítimo proprietário soberano, a Ucrânia, da Usina Nuclear de Zaporizhzhya, bem como de todas as instalações nucleares dentro das fronteiras internacionalmente reconhecidas, para garantir suas operações seguras e protegidas", diz o G7 em comunicado.

Os ucranianos que operam a central nuclear de Zaporizhzhya devem poder desempenhar as suas funções sem ameaças ou pressões, diz o texto, acrescentando que é o controle contínuo da usina pela Rússia que põe em perigo a região.

"Continuamos profundamente preocupados com a grave ameaça que a tomada de instalações nucleares ucranianas e outras ações das forças armadas russas representam para a segurança dessas instalações, aumentando significativamente o risco de um acidente ou incidente nuclear e pondo em perigo a população da Ucrânia, vizinha de estados e da comunidade internacional. Também prejudica a capacidade da AIEA de monitorar as atividades nucleares pacíficas da Ucrânia para fins de salvaguarda", conclui o documento.

(Estadão Conteúdo)

LEIA TAMBÉM: 

Bombardeios da Rússia matam 13 no centro-oeste da Ucrânia

Estoques de petróleo nos EUA sobem 5,457 milhões de barris