Mundo

Cruzeiro de luxo com mais de 200 a bordo é resgatado após quatro dias encalhado

Ocean Explorer encalhou na segunda-feira, em Alpefjord, no Parque Nacional do Nordeste da Groenlândia

Groenlândia: incidente ocorreu no maior parque nacional do mundo e é conhecido pelos icebergs e pelos bois-almiscarados que vagam pela costa (Achim Thomae/Getty Images)

Groenlândia: incidente ocorreu no maior parque nacional do mundo e é conhecido pelos icebergs e pelos bois-almiscarados que vagam pela costa (Achim Thomae/Getty Images)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 14 de setembro de 2023 às 15h00.

Um luxuoso navio de cruzeiro da Noruega com 206 passageiros e tripulantes ficou encalhado durante quase quatro dias no noroeste da Groenlândia, durante uma expedição que passava pelo maior parque nacional do mundo. A embarcação foi rebocada nesta quinta-feira, 14, por um navio de pesquisa pesqueira na maré alta, após diferentes tentativas mal sucedidas ao longo da semana.

O Ocean Explorer, de 104,4 metros de comprimento e 18 metros de largura, encalhou na segunda-feira, 11, em Alpefjord, no Parque Nacional do Nordeste da Groenlândia. É o maior parque nacional do mundo e é conhecido pelos icebergs e pelos bois-almiscarados que vagam pela costa. O parque é quase tão extenso quanto a França e a Espanha juntas, e aproximadamente 80% está coberto por uma camada de gelo.

Fique por dentro das últimas notícias no Telegram da Exame. Inscreva-se gratuitamente

Antes da libertação, três tentativas fracassadas foram feitas ao longo da semana. No início da semana, o navio de cruzeiro fez duas tentativas de flutuar sozinho durante a maré alta. Já na manhã de quarta-feira, 14, um navio de pesquisa pesqueira do Instituto Natural da Groenlândia, Tarajoq, tentou puxar o cruzeiro durante a maré alta, mas novamente sem sucesso.

Ele foi finalmente liberado nesta quinta-feira por um navio de pesquisa pesqueira na maré alta, disse a empresa proprietário do navio de cruzeiro, SunStone Ships, com sede em Copenhague, e o Comando Conjunto do Ártico, que coordenou a operação.

“Não houve feridos a ninguém a bordo, nenhuma poluição do meio ambiente e nenhuma ruptura do casco”, disse SunStone Ships, em comunicado. Ele disse que o navio de cruzeiro e seus passageiros viajarão agora para um porto onde os danos ao fundo do navio poderão ser avaliados, e os passageiros serão levados para um local de onde poderão ir para casa.

O navio de cruzeiro é operado pela Aurora Expeditions, com sede na Austrália, e tem passageiros da Austrália, Nova Zelândia, Coreia do Sul, Reino Unido e Estados Unidos. Possui proa invertida, em formato de submarino. Possui 77 cabines, 151 leitos de passageiros e 99 leitos de tripulação, além de diversos restaurantes.

Pelo menos três pessoas contraíram covid-19 dentro do navio, segundo a operadora do cruzeiro. “Esses passageiros estão atualmente em isolamento. Eles estão supervisionados pelo nosso médico a bordo, pela equipe médica e pela tripulação, e eles estão bem”, a Aurora Expeditions disse em comunicado. Os demais no MV Ocean Explorer estavam “seguros e saudáveis”, acrescentou.

O jornal australiano The Sydney Morning Herald citou um aposentado australiano que está no navio e contraiu covid, Steven Fraser, dizendo: “Todos estão de bom humor. É um pouco frustrante, mas estamos em uma parte linda do mundo.” Ao jornal, ele descreveu que a bordo estavam “vários idosos ricos”.

Acompanhe tudo sobre:NaviosNoruegaTurismo

Mais de Mundo

Coreia do Norte é "camarada de armas" da Rússia, diz Kim Jong Un

Eleições na França aumentam temor de crise financeira

Veja por que Bill Gates investe US$ 1 bi para tornar usinas nucleares mais fáceis de construir

Blinken viaja ao Catar após emendas do Hamas ao plano de cessar-fogo em Gaza

Mais na Exame