Correio postal direto Cuba-EUA interrompido desde março

A interrupção é tornada pública num momento de crise diplomática, após a denúncia dos EUA de "ataques sônicos" contra seus funcionários em Havana

O correio postal direto entre Cuba e os Estados Unidos, que retomou no ano passado após 48 anos, está interrompido desde março, na pendência de uma decisão do governo americano, informou a estatal Correos de Cuba.

"Estamos aguardando uma resposta das autoridades postais desse país para poder reativar o correio direto mediante voos comerciais regulares, como é a prática usual no mundo", afirmou Soraya Bravo, vice-presidente da Correos de Cuba.

A interrupção é tornada pública num momento de crise diplomática, após a denúncia de Washington de "ataques sônicos" contra seus funcionários em Havana e a expulsão de diplomatas.

À imprensa, Bravo lembrou que o correio direto foi retomado em 16 de março de 2016 com um plano piloto de um ano, através de voos da IBC Airways, inicialmente com três voos semanais e depois dois.

O serviço, que incluía cartas e encomendas, foi encerrado em 1968, depois que uma bomba explodiu em um pacote recebido em Havana, recordou a funcionária.

A partir de então e até 2016, o serviço foi realizado através de um país terceiro.

Ao final do plano piloto, as autoridades cubanas propuseram manter o serviço usando voos comerciais diretos de outras empresas, mas ainda não receberam uma resposta dos Estados Unidos.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também