Banco da Grécia: reestruturação não é necessária nem desejável

Diretor do BC grego disse que falta novo impulso para recuperar atrasos e lançar uma política de reformas

Atenas - As reformas estruturais na Grécia estão "por trás da evolução da dívida", considerou nesta segunda-feira o diretor do banco central grego, Yorgos Provopoulos, indicando que a reestruturação da dívida pública não é "nem necessária nem desejável".

"Atualmente, a economia está em um ponto limite; a adaptação das finanças públicas alcançou progressos, mas continua atrás da evolução da dívida", disse Provopoulos em Atenas, ao apresentar seu relatório anual sobre a economia grega.

O governador do banco central disse que faz falta um novo impulso "para recuperar os atrasos e lançar uma política de reformas", acrescentando que o governo deve mostrar "determinação" para empreender reformas estruturais e dar continuidade ao programa de privatizações.

Quanto à possibilidade de uma reestruturação da dívida, objeto de muita especulação no país, o diretor declarou que "o Banco da Grécia vem explicando desde outubro que uma reestruturação não é nem necessária nem desejável, porque teria consequências catastróficas tanto para o governo quanto para os investidores privados, que não poderão ter acesso aos mercados" para se financiar.

O governo socialista grego já está aplicando um plano draconiano de austeridade, imposto como condição para o resgate de 110 bilhões de euros que obteve no ano passado da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Provopoulos prognosticou para este ano uma recessão de pelo menos 3% do PIB, e não descartou uma queda ainda maior.

Ainda de acordo com os cálculos do diretor do BC grego, a taxa de desemprego no país, que já está em seu patamar mais alto em uma década, deve superar os 15%.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.