Alemanha diz ser desnecessário aumentar fundo de resgate europeu

Para o ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schaeuble, não há necessidade de aumentar o fundo de resgate da zona do euro

Paris - O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schaeuble, disse nesta segunda-feira que não há necessidade de aumentar o fundo de resgate da zona do euro, apesar de que ministros da União Europeia discutirão o futuro de um mecanismo de estabilidade mais amplo neste mês.

Schaeuble disse que muito foco no curto prazo e no tamanho do Instrumento Europeu de Estabilidade Financeira -- o fundo de resgate de 440 bilhões de euros criados em maio -- está mandando o sinal errado aos mercados e incitando especulação sobre as finanças da zona do euro.

"Na nossa opinião, não é necessário, no momento atual, aumentar a capacidade do fundo europeu", disse Schaeuble ao jornal francês La Tribune.

"Esse debate sobre um possível acréscimo no tamanho do fundo manda ao mercado um sinal completamente errado: ao falar sobre a necessidade dele ser ampliado no curto prazo, nós estamos apenas espalhando especulação sobre as situações dos países-membros."

Ministros das Finanças dos 17 países da zona do euro se encontram nesta segunda-feira para discutir como dar mais flexibilidade e mais poder ao fundo de resgate. Depois, ministros da UE discutirão o Mecanismo Europeu de Estabilidade, que assumirá a resolução de crise a partir de meados de 2013.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.