Mercado imobiliário

Preço médio do aluguel no país supera inflação em abril; veja valores por capital

A variação do preço superou a inflação registrada no período pelo IPCA, assim como o resultado mensal do IGP-M

FipeZap: no ano, o preço do aluguel residencial acumula alta de 6,39% (Krisanapong detraphiphat/Getty Images)

FipeZap: no ano, o preço do aluguel residencial acumula alta de 6,39% (Krisanapong detraphiphat/Getty Images)

Karla Mamona
Karla Mamona

Editora de Finanças

Publicado em 16 de maio de 2023 às 17h07.

Última atualização em 16 de maio de 2023 às 17h32.

O preço médio dos aluguéis de imóveis no país subiu 1,68% em abril, segundo o índice FipeZap divulgado nesta terça-feira. O avanço representou uma discreta desaceleração frente ao resultado de março (+1,75%). A variação superou a inflação registrada no período pelo IPCA (0,61%), assim como o resultado mensal do IGP-M/FGV (-0,95%).

Dentre as 25 cidades que integram o cálculo do Índice FipeZAP+ de Locação Residencial, 24 tiveram alta, incluindo as 11 capitais incluídas nesse rol: Goiânia (+5,15%); Florianópolis (+4,41%); Fortaleza (+3,22%); Belo Horizonte (+2,71%); Rio de Janeiro (+2,14%); Curitiba (+1,80%); Salvador (+1,76%); São Paulo (+1,28%); Porto Alegre (+1,08%); Brasília (+0,78%); e Recife (+0,55%).

Em 2023

No ano, o preço do aluguel residencial acumula alta de 6,39%, superando nesse recorte temporal a inflação ao consumidor medida pelo IPCA/IBGE (+2,72%), assim como a variação acumulada pelo IGP-M/FGV (-0,75%).

Todas as 25 cidades monitoradas registraram valorização do aluguel, incluindo as capitais mencionadas: Goiânia (+18,82%); Florianópolis (+17,33%); Fortaleza (+11,19%); Rio de Janeiro (+8,95%); Belo Horizonte (+8,54%); Curitiba (+7,37%); Salvador (+6,69%); São Paulo (+4,59%); Recife (+3,20%); Brasília (+2,91%); e Porto Alegre (+2,60%).

12 meses

Em 12 meses, o Índice FipeZAP+ de Locação Residencial acumulou uma alta nominal de 17%, resultado que supera as variações dos índices de preço da economia brasileira: IPCA/IBGE (+4,18%) e IGPM/FGV (-2,17%).

Também neste recorte, todas as 25 cidades monitoradas pelo índice registram valorização dos preços de locação em suas respectivas localidades, entre as quais se pode destacar os avanços nas 11 capitais supracitadas: Florianópolis (+37,68%); Goiânia (+33,84%); Curitiba (+23,06%); Fortaleza (+23,04%); Rio de Janeiro (+20,52%); Belo Horizonte (+20,28%); São Paulo (+15,12%); Recife (+12,86%); Porto Alegre (+12,23%); Salvador (+12,19%); e Brasília (+8,89%).

Preço médio

O levantamento apontou ainda que, com base na amostra de anúncios de imóveis residenciais disponibilizados para aluguel em abril de 2023, o preço médio calculado para as cidades monitoradas pelo Índice FipeZAP+ foi de R$ 38,35/m².

Entre as 16 capitais incluídas nesse rol, São Paulo apresentou o preço médio de locação residencial mais elevado (R$ 47,66/m²), seguida pelos registros em: Florianópolis (R$ 45,77/m²); Recife (R$ 43,87/m²), Rio de Janeiro (R$ 41,02/m²) e Brasília (R$ 37,48/m²).

Em contraponto, as capitais monitoradas com menor valor de locação residencial na última apuração mensal foram as seguintes: Fortaleza (R$ 25,86/m²), Porto Alegre (R$ 28,54/m²), Goiânia (R$ 31,22/m²) e Salvador (R$ 31,44/m²).

O preço médio do aluguel nas capitais

CidadeVariação em abrilVariação no acumulado do anoVariação acumulada nos últimos 12 mesesPreço médio por metro quadrado)
São Paulo1,28%4,59%15,12%47,66
Rio de Janeiro2,14%8,95%20,52%41,02
Brasília0,78%2,91%12,19%37,48
Salvador1,76%6,69%8,89%31,44
Porto Alegre1,08%2,60%12,23%28,54
Curitiba1,80%7,37%23,06%32,18
Belo Horizonte2,71%8,54%20,28%34,07
Recife0,55%3,20%12,86%43,87
Fortaleza3,22%11,19%23,04%25,86
Florianópolis4,41%17,33%37,68%45,77
Goiânia5,15%18,82%33,84%31,22
Índice FipeZAP+1,68%6,39%17,00%38,98

Veja também
Como declarar aluguel no imposto de renda 2023

Acompanhe tudo sobre:ImóveisReajuste de aluguelindice-fipezapMercado imobiliário

Mais de Mercado imobiliário

Construí minha casa em cima do imóvel do meu sogro. Consigo passar para o meu nome?

Studio ficou caro demais? Apartamentos ‘médios’ puxam alta demanda no Rio

Leilão de imóveis: Zuk promove leilões judiciais com desconto de até 62%

Posso ficar com som alto no meu apartamento? Qual o limite permitido?

Mais na Exame