No iFood, esse delivery foi campeão na pandemia – e ele surpreende

Surto de covid-19 intensificou uso do aplicativo por empreendedores e consumidores; Dados revelam mudanças no comportamento de consumo

Ao pensar em delivery de comida, é comum imaginar estabelecimentos e ocasiões em que, normalmente, recorremos ao serviço: finais de semana, jantar, restaurantes.

A pandemia de covid-19, no entanto, alterou as formas de consumo de comida. Uma das principais startups do setor, o iFood acumula dados que revelam as mudanças na área da alimentação.

Entre março e junho, um tipo de estabelecimento teve grande crescimento dentro da plataforma. Engana-se quem pensa que o incremento se deu em algum tipo específico de restaurante. O destaque da vez foram as padarias, que tiveram participação 156% maior no período.

Apenas em junho, cerca de 3 milhões de itens de panificação foram vendidos — um número duas vezes maior do que as vendas realizadas em abril.

A alta pode ser reflexo da diversificação do uso do serviço de delivery. Se, antes, a ferramenta era usada para compra de almoço e jantar, hoje, novas ocasiões também podem incluir a entrega. No iFood, pedidos de café da manhã tiveram aumento de 133% durante os dias de semana e de 127% nos finais de semana.

A vez dos pequenos

O número de restaurantes cadastrados no iFood também teve aumento de março para cá. Hoje, são mais de 212 mil estabelecimentos, 32% a mais do que os 160 mil que usavam o serviço em março.

Os pequenos e médios restaurantes, no entanto, ganham cada vez mais espaço. Ainda em comparação com o mês de março, os estabelecimentos menores tiveram 44% de aumento em vendas, registrando 18 milhões de pedidos apenas em junho (o que corresponde a 47% do total de pedidos do app).

Para se ter uma ideia, os pequenos restaurantes foram responsáveis por 29% dos pedidos no mesmo período do ano passado.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também